1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Livro 'Devotos e Devassos' vence Prêmio Casa de las Américas

- Atualizado: 01 Fevereiro 2016 | 19h 14

Obra é o resultado da tese de doutorado de Cristian Santos

Devotos e Devassos – Representação dos Padres e Beatas na Literatura Anticlerical Brasileira, de Cristian Santos, venceu o Prêmio Casa de Las Américas na categoria Literatura Brasileira. Na obra publicada pela Edusp, que é o resultado da tese de doutorado do autor, Cristian Santos analisa a produção literária brasileira da segunda metade do século 19, delimitando a corrente estética do naturalismo, e se detém sobre a questão anticlerical em três obras de ficção: O Mulato e O Homem, de Aluísio Azevedo, e Morbus – Romance Patológico, de Faria Neves Sobrinho.

“Trata-se de um estudo profundo e bem estruturado que se fundamenta em uma ampla pesquisa historiográfica e literária. Um estudo que tem o potencial de abrir o caminho a pesquisas comparativas sobre o período do naturalismo na América Latina e mobilizar um marco teórico que inclui estudos foucaultianos sobre a domesticação e disciplina dos corpos por meio do discurso científico, assim como críticas às hierarquias de raça e gênero na filosofia positivista”, escreveu o júri sobre a obra do pesquisador e bibliotecário da Câmara dos Deputados. A comissão julgadora foi formada por Idelber Avelar (Brasil), Viviana Gelado (Argentina) e Consuelo Rodríguez Muñoz (México).

Pesquisador é bibliotecário na Câmara dos Deputados
Pesquisador é bibliotecário na Câmara dos Deputados

Na categoria conto, foi premiado o livro Ni Una Sola Voz en el Cielo, do argentino Ariel Urquiza. Em ensaio sobre tema artístico-literário, De Las Cenizas al Texto – Literaturas Andinas de Las Disidencias Sexuales en el Siglo XX, do equatoriano Diego Falconí Trávez. A cubana Legna Rodríguez Iglesias ganhou na categoria teatro por Si Esto Es Una Tragedia Yo Soy Una Bicicleta. O prêmio da categoria Estudos sobre Culturas Originarias de América ficou para o colombiano Miguel Rocha Vivas, por Mingas de la Palabra – Textualidades Oralitegráficas Y Visiones de Cabeza en las Oralituras y Literaturas Indígenas Contemporáneas.

O valor do prêmio é US$ 3 mil.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX