1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Lançamentos revisitam as teorias feministas

- Atualizado: 08 Março 2016 | 06h 00

Para crianças e adultos, livros que chegam agora às livrarias abordam questões como a igualdade de gênero

Figuras importantes do movimento feminista (e de outras causas), Angela Davis (1944), Gloria Steinem (1934) e Mary Wollstonecraft (1759-1797) estão chegando às livrarias brasileiras numa onda editorial de resgate teórico – mas não só.

De Davis, a Boitempo lança, no segundo semestre, Mulheres, Raça e Classe. Publicada em 1983, a obra é uma crítica ao feminismo da segunda metade do século 20. É da mesma editora a iniciativa de lançar, agora, Reivindicação dos Direitos da Mulher, de Wollstonecraft, considerado um dos livros fundadores do feminismo, e, em breve, o infantil As Mulheres e os Homens. 

Eterna luta. Gloria Steinen (4ª à esq.), na Coreia do Sul, em 2015, aos 81
Eterna luta. Gloria Steinen (4ª à esq.), na Coreia do Sul, em 2015, aos 81

Há outros títulos no catálogo e no prelo da editora. “Foi com Feminismo e Política (2014), de Flávia Birolli e Luis Felipe Miguel, que percebemos mais claramente a necessidade de lançar obras que ajudassem a embasar teoricamente as feministas”, diz Ivana Jinkings, diretora da Boitempo.

A Bertrand lança, em setembro, Minha Vida na Estrada, da ativista americana Gloria Steinen. Já a Civilização Brasileira manda para as livrarias nos próximos dias O Papel de Parede Amarelo, de Charlotte Perkins Gilman, uma das primeiras ficções feministas – escrita na virada do século 19 para o 20.

E a Galera lança Vamos Juntas?, de Babi Souza, que criou um perfil no Facebook sobre sororidade feminina na rua e virou febre. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX