Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

João Paulo Cuenca e Carrascoza vencem prêmios da Fundação Biblioteca Nacional

Eles ganharam R$ 30 mil cada um; veja a lista completa dos vencedores

Redação, O Estado de S. Paulo

27 Novembro 2017 | 21h17

A Fundação Biblioteca Nacional anunciou, na noite desta segunda-feira, 27, em cerimônia no Rio de Janeiro, os vencedores de seus prêmios literários. Nesta 24ª edição, concorreram 890 obras e a categoria poesia, com 194 obras inscritas, foi a mais popular.

Cada vencedor ganha R$ 30 mil.

O escritor carioca João Paulo Cuenca ganhou o Prêmio Machado de Assis com o romance Descobri que Estava Morto (Tusquets). Marcelo Moutinho, com a coletânea de contos Ferrugem (Record), ganhou o Prêmio Clarice Lispector.

Poeta, tradutor e colaborador do Estado, Sérgio Medeiros venceu o Prêmio Alphonsus de Guimaraens com os poemas de A Idolatria Poética ou a Febre de Imagens (Iluminuras).

João Anzanello Carroscoza ficou em primeiro lugar no Prêmio Glória Pondé, com o juvenil Tempo Justo (Edições SM). Eva Furnari, com o infantil Drufs (Moderna), venceu o Prêmio Sylvia Orthof.

Na categoria ensaio literário (Prêmio Mário de Andrade), Cláudia Maria de Vasconcellos foi premiada por sua obra Samuel Beckett e Seus Duplos: Espelhos, Abismos e Outras Vertigens Literárias (Iluminuras). Na de ensaio social (Prêmio Sérgio Buarque de Holanda), Angela de Castro Gomes e Patricia Hansen venceram com Intelectuais Mediadores: Práticas Culturais e Ação Política (Civilização Brasileira).

+ Maria Valéria Rezende vence Prêmio São Paulo de Literatura 2017

+ Silviano Santiago, Marilena Chaui, Veronica Stigger e Eva Furnari entre os vencedores do 59.º Jabuti; veja a lista completa

O Prêmio Aloísio Magalhães, de projeto gráfico, foi para Gabriela Marques de Castro, Gustavo Marchetti e Paulo André Chagas (Bloco Gráfico), pelo trabalho em Anri Sala: O Momento Presente, obra organizada por Heloisa Spada para o Instituto Moreira Salles.

Na categoria tradução (Prêmio Paulo Rónai), o vencedor por Rogério Bettoni, por Jaqueta Branca ou O mundo em um Navio de Guerra (Carambaia), de Herman Melville.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.