Christopher Furlong/Getty Images
Christopher Furlong/Getty Images

Ismail Kadaré e David Grossman são indicados ao Man Booker International Prize

Kadaré foi o vencedor da primeira edição do prêmio, em 2005

O Estado de S.Paulo

15 Março 2017 | 21h15

Um dos principais prêmios literários do mundo, o Man Booker International Prize, divulgou nesta quarta-feira, 16, sua lista de semifinalistas da edição deste ano. Entre eles, estão o escritor israelense Amós Oz, por Judas (Companhia das Letras), e o albanês Ismail Kadaré, por The Traitor's Niche (O Nicho do Traidor, inédito no Brasil). David Grossman, por O Inferno dos Outros (Companhia das Letras), lançado no Brasil no ano passado, e a argentina Samanta Schweblin, com o livro Fever Dream (Sonho Febril), também estão na lista.

Kadaré foi o vencedor da primeira edição do prêmio, em 2005, quando o troféu ainda era dado a escritores por sua obra completa e não por um livro específico. Hoje, entretanto, a versão internacional do Booker Prize elege autores de qualquer lugar do mundo, desde que traduzido e publicado no Reino Unido. O prêmio de 50 mil libras é dividido em partes iguais entre o autor e seu tradutor.

Mais onze livros concorrem ao Man Booker International Prize. Veja a lista completa:

Compass (Bússola), de Mathias Enard (França)

Swallowing Mercury (Engolindo Mercúrio), de Wioletta Greg (Polônia)

A Horse Walks Into a Bar (traduzido no Brasil como O Inferno dos Outros), de David Grossman (Israel)

War e Turpentine (Guerra e solvente), de Stefan Hertmans (Bélgica)

The Unseen (O Oculto), de Roy Jacobsen (Noruega)

Fish Have no Feet (Peixe Não tem Pé), de Jon Kalman Stefansson (Islândia)

The Explosion Chronicles (As Crônicas da Explosão), de Yan Lianke (China)

Black Moses (O Moisés Negro), de Alain Mabanckou (França)

Bricks and Mortar (Tijolos e Cimento), de Katy Derbyshire (Alemanha)

Mirror, Shoulder, Signal (Espelho, Ombro, Sinal), de Dorthe Nors (Dinamarca)

Fever Dream (Sonho febril), de Samanta Schweblin (Argentina)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.