Reprodução
Reprodução

Estante: Veja seis indicações de leitura

Na lista, livros para todas as idades e preferências

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2015 | 15h22

O argentino Julio Cortázar e o brasileiro Henfil são tema de dois livros que acabam de chegar às livrarias em nova edição: A Fascinação das Palavras e Como Fazer Humor Político. Ambos são o resultado de conversas que eles tiveram com amigos. Para quem gosta de policial, a dica é a coletânea USA Noir, com textos de autores como Dennis Lehane, Joyce Carol Oats e Lee Child. Há ainda Queria ter Ficado Mais, com relatos de viagem e que vale também pelo formato, e dois clássicos infantojuvenis: O Pequeno Príncipe, em nova tradução, e Um Urso Chamado Paddington, sucesso no mundo inteiro e que tenta repetir a dose no Brasil - agora com a ajuda do filme exibido recentemente.

A Fascinação das Palavras

Autores: Julio Cortázar e Omar Prego Gadea

Tradução: Ari Roitman e Paulin Watch

Editora: Civilização Brasileira (296 págs., R$ 55)

Quando o jornalista uruguaio sugeriu uma série de entrevistas que resultaria numa obra sobre a vida e o pensamento de Julio Cortázar, o escritor argentino topou, mas disse que teria de ser um livro “muito louco”. Era 1982, e A Fascinação das Palavras saiu em 1984, depois da morte de Cortázar. Esta é a segunda edição da obra no Brasil - a primeira, de 1991, ganhou o título de O Fascínio das Palavras. A infância, a paixão pelo jazz, a literatura - está tudo ali registrado em palavras e fotos.

Como se faz Humor Político

Autores: Henfil e Tárik de Souza

Editora: Karup (128 págs., R$ 38)

Trinta anos depois do lançamento, obra que traz uma longa conversa - sem pauta pré-estabelecida ou perguntas combinadas - entre o cartunista Henfil (1944-1988) e o jornalista Tárik de Souza sobre humor político ganha nova edição. O livro havia sido encomendado a Henfil, mas ele, muito atarefado, chamou o amigo para entrevistá-lo. “Não fiquei surpreso ao reler Como se faz Humor Político 30 anos depois e encontrá-lo ainda denso e pertinente. Mudam os nomes e as circunstâncias, e as mazelas continuam suplantando as virtudes humanas. Mas, na maior parte, porque Henfil é craque. E sua arte - e modo de fazê-la -, atemporal”, escreve o entrevistador na apresentação da nova edição, que conta ainda com prefácio do jornalista Sérgio Augusto.

USA Noir

Organização: Johnny Temple

Tradução: Débora Guimarães Isidoro

Editora: Casa da Palavra (560 págs., R$ 59,90; R$ 40,99 o e-book)

Coletânea de contos policiais que se passam no território americano traz textos de autores como Dennin Lehane (Dorchester, Boston), Joyce Carol Oates (Montanhas Kittatinny), Lee Child (Chandler, Arizona), Jonathan Safran Foer (Princeton, Nova Jersey), entre outros. Os contos são divididos em seis partes: Obstinação, Valores Americanos, Fúria ao Volante, Segurança Doméstica, Sob Influência e Justiça da Rua. Uma versão carioca também foi publicada pela editora. Rio Noir, com organização de Tony Belloto, traz histórias que se passam em bairros do Rio de Janeiro. Entre os autores, Luiz Garcia-Roza, MV Bill e Flavio Carneiro.

Queria Ter Ficado Mais

Org.: Cecilia Arbolave

Editora: Lote 42 (R$ 49,90)

Não se trata de um livro no formato padrão. Cada capítulo de Queria Ter Ficado Mais vem num envelope ilustrado pela argentina Eva Uviedo. São 12, no total, com relatos de viagem feitas a lugares tão diferentes quanto Tóquio (Luciana Breda), Londres (Clara Averbuck) e Buenos Aires (Cecilia Arbolave). Sobre Istambul, Livia Aguiar escreve: “2012. É 1 da manhã de 3 de junho, dia que começou num restaurante palestino em Amã, capital da Jordânia, há 37 horas, e terminou em Şişli, bairro residencial de Istambul. Saí da Ásia em direção à Europa, sétimo mês de uma volta ao mundo que começou na Argentina e só vai terminar em Londres daqui a um tempo. No caminho para o centro de Istambul, perdi meu lenço árabe no banheiro do aeroporto. Só percebi no caminho para chegar à casa de Irmak, primeiro anfitrião na maior cidade da Turquia, encontrado pelo Couchsurfing (...)”

O Pequeno Príncipe

Autor: Antoine de Saint-Exupéry

Tradução: Ivone C. Benedetti

Editora: L&PM (versão tradicional: 96 págs., R$ 16,90; versão pocket: 96 págs., R$ 9,90)

Presença frequente nas listas de mais vendidos há décadas, O Pequeno Príncipe já encantou diversas gerações e dispensa apresentações. A novidade é que agora que a obra de Saint-Exupéry entrou em domínio público, o leitor encontra nas livrarias uma variedade de edições com diferentes traduções. A deste volume foi feita por Ivone C. Benedetti, tradutora, também, de Boccacio, Vargas Llosa e Balzac e autora de Immaculada, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura.

Um Urso Chamado Paddington

Autor: Michael Bond

Tradução: Monica Stahel

Editora: WMF Martins Fontes

Primeiro livro sobre o urso que se muda de uma floresta peruana para a já cosmopolita Londres dos anos 1950 (o volume foi publicado originalmente em 1958) e é encontrado pela família Brown numa estação de trem ganha nova edição no país. A história, aliás, acaba de ser transformada em filme (As Aventuras de Paddington). Personagem clássico da literatura infantil britânica, Paddington foi tema de uma série de livros - alguns deles serão lançados pela mesma editora nos próximos anos. 

Mais conteúdo sobre:
Literatura, Lançamento, Estante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.