Cantor Rubén Blades lamenta que Nobel de Dylan não tenha sido dividido com Chico Buarque

O autor de Pedro Navaja lamentou 'apenas que a perspectiva da Academia Sueca não fosse mais ampla'

EFE

14 Outubro 2016 | 20h37

O cantor panamenho Rubén Blades disse que o lendário cantor e compositor Bob Dylan mereceu o Prêmio Nobel de Literatura 2016, mas lamentou que a Academia Sueca não tenha sido mais abrangente e dividido o galardão com o brasileiro Chico Buarque.

"Evitemos a discussão a partir de perspectivas elitistas. Dylan merece o prêmio pela qualidade de seu trabalho e por ter mantido ininterruptamente essa qualidade por meio de experimentos e renovações", disse o ganhador de Prêmios Grammy latinos e americanos em sua página da internet.

O autor de Pedro Navaja lamentou "apenas que a perspectiva da Academia Sueca não fosse mais ampla" e pensasse em Chico, um dos mais famosos representantes da música popular brasileira (MPB), autor de clássicos como Construção.

Um compositor como Chico Buarque, disse o artista e ex-ministro do Turismo panamenho, "merece igualmente essa consideração. Não apenas é um excelente compositor (Construção) como é dramaturgo e já publicou romances muito bem recebidos".

"O argumento a favor do músico popular teria sido mais completo se o prêmio tivesse sido dividido com Chico, e fosse assim reconhecida a contribuição literária musical proveniente de uma parte importante da América não saxã", argumentou Blades.

O autor de canções como A Banda, Cálice e Apesar de Você, que o obrigaram a exilar-se nos anos 1970 durante a ditadura, tornou-se famoso nos festivais estudantis da década de 60 e desde então mantém cativo o público brasileiro com suas canções-poemas.

Blades reconhece também que o prêmio literário outorgado a Bob Dylan provocou todo tipo de reações e queixas de um setor que considera que a letra da música popular "é só para entretenimento, um veículo de escapismo e é vulgar, não podendo, portanto, ser considerada de nível intelectual sério".

Para Blades, essa perspectiva "é sumamente elitista, logo, distorcida".

Segundo o júri da Academia Sueca, Bob Dylan mereceu o Nobel por "ter criado uma nova expressão poética dentro da grande tradição da canção americana". / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ

 

Mais conteúdo sobre:
Bob Dylan Chico Buarque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.