Warner descarta protagonistas para Mulher-Maravilha

Nos sites de quadrinhos, particularmente, a notícia se espalhou com rapidez gerando críticas ferozes

Adriano Marangoni, especial para o Estado,

17 Outubro 2007 | 10h35

Jessica Biel, Eva Green, Katie Holmes, Charisma Carpenter, até mesmo Sandra Bullock. Todas foram cogitadas para viver a Mulher-Maravilha nos cinemas. Em 2005, o projeto chegou a ter um diretor contratado, Joss Whedon, o criador da tele-série Buffy, demitido antes mesmo da produção começar. Na última semana, porém, um comentário pôs fim à discussão: "Nós não faremos mais filmes de mulheres como protagonistas".   A afirmação é atribuída a Jeff Robinov, presidente de produção da Warner Bros. Reproduzida por Nikki Finke, redatora do LA Weekly, a decisão é uma reação da Warner aos resultados dos filmes Valente, com Jodie Foster, e A Invasão, com Nicole Kidman, ambos de desempenho pouco expressivo nas bilheterias americanas.   Nos sites de quadrinhos, particularmente, a notícia se espalhou com rapidez gerando críticas ferozes daqueles que há anos esperam ver o filme da amazona de Themiscyra. Personagem da DC, a Mulher-Maravilha é propriedade autoral da Warner Bros e só através da produtora poderia ganhar uma versão no cinema.   "[...] personagens como Ripley [de Alien], Alice de Resident Evil, etc, fizeram muito dinheiro para os estúdios", disse Valerie D'Orazio em seu blog, Occasional Superheroine, referência em assuntos ligados à imagem das mulheres na cultura pop.     Ex-funcionária da DC, D'Orazio acredita que a decisão influencia a mídia como um todo, especialmente nos quadrinhos, e, portanto, é algo a ser repensado pela Warner. "Ladainha anti-feminina é má publicidade, sabia?", advertiu a blogueira.     No lugar da heroína, a Warner Bros tem tocado a produção de um filme da Liga da Justiça a ser lançado em 2009. Pelos rumores, ainda em fase inicial, o roteiro deve colocar Superman, Batman e companhia tocando sopapos, inclusive com a Mulher-Maravilha.

Mais conteúdo sobre:
Warner Mulher-Maravilha quadrinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.