Uma família desmorona no filme Depois do Casamento

Longa da dinamarquesa Susanne Bier que concorreu ao Oscar estréia em SP

Agencia Estado

07 Junho 2015 | 10h12

Nos filmes da diretora dinamarquesa Susanne Bier, uma sucessão de acasos termina sempre por subverter a ordem do mundo burguês. E as coisas nunca são simples. Corações Livres contava a história de uma mulher que atropelava um sujeito e, movida pela culpa, impulsionava o próprio marido a se tornar amante daquela que ia se casar com o agora paralítico. Seu casamento desmoronava, claro. No novo filme da diretora, o casamento está de novo em discussão. Depois do Casamento mostra Mads Mikklesen, o vilão de Cassino Royale, como um idealista que dirige orfanato na Índia. A instituição está prestes a fechar, por falta de recursos, quando um filantropo dinamarquês lhe oferece dinheiro, mas faz uma exigência. Ele terá de voltar à Dinamarca para o casamento da filha do milionário. Ao fazê-lo, descobre que a mulher com quem seu benfeitor está casado é sua ex. E isso é só o começo. O novo filme de Susanne Bier tem tudo a ver com Festa de Casamento, de Thomas Vinterberg. Outra história de família que desmorona, abordando problemas éticos agravados pela fragilidade humana. Mads Mikkelsen é um ator excepcional. Não por acaso, ganhou vários prêmios na Europa. A estrutura narrativa é labiríntica e leva o espectador por caminhos Inesperados. Começa meio hesitante. Adquire densidade. Susanne subvertia o Dogma usando uma canção melosa em Corações Livres . Aqui, subverte pela própria estrutura. As reviravoltas são tantas que fica difícil ajustar Depois do Casamento no minimalismo do Dogma. Depois do Casamento concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro, em fevereiro. Perdeu, mas é bom, você vai ver. Depois do Casamento (Efter Brylluppet, Dinamarca/2005, 122 min.) - Drama. Dir. Susanne Bier. Cotação: Bom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.