Talese fala na Flip que imprensa matou Machael Jackson

"Para mim, há cinco anos, Michael Jackson começou a ser envenenado pela imprensa", disse Gay Talese

Ubiratan Brasil, de O Estado de S. Paulo,

02 Julho 2009 | 11h44

A imprensa matou Michael Jackson - desde que chegou a Paraty, na terça-feira, o jornalista americano Gay Talese busca brechas nas entrevistas para dar sua opinião sobre a morte do astro da música pop, ocorrida na semana passada. "Para mim, há cinco anos, Michael Jackson começou a ser envenenado pela imprensa", disse Talese, que participa no sábado da 7ª Festa Literária Internacional de Paraty.

 

Veja também:

video Davi Arrigucci Jr. fala sobre Manuel Bandeira na abertura da Flip

 

 "Acho que ele foi morto pela imprensa. Ok, a autópsia vai apontar ataque cardíaco ou qualquer outra versão oficial, mas ele vinha morrendo aos poucos há cinco anos, graças à humilhação imposta pelo desserviço de alguns jornalistas. Aqueles que noticiaram como verdadeiras as declarações de pessoas que teriam sido abusadas por Michael Jackson."

 

 

Aos 77 anos e ainda na ativa (divide sua atividade jornalística no The New York Times com a escrita de um livro sobre os 50 anos de seu casamento a ser publicado em 2011), ele acredita que as acusações contra Jackson jamais foram devidamente explicadas. "Quero saber exatamente, em um texto compreensível, o que Michael Jackson fez. Simplesmente dizer que ele 'abusou' de alguém é pouco evidente. Lamento por Michael Jackson. Com a morte, foi transformado em mártir. O mesmo homem acusado, semanas antes, de perversão. Por isso, não me emocionei nem um pouco com o noticiário lacrimoso sobre sua morte."

Mais conteúdo sobre:
Flip Michael Jackson Gay Talese

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.