1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Socorro

FÁBIO PORCHAT - O Estado de S.Paulo

15 Junho 2014 | 02h 08

Um homem caminha pela orla de uma lagoa poluída.

Cara - Alguém tem que fazer alguma coisa!

Super-homem (surge do céu) - Precisando de ajuda?

Cara - Super-homem. Só você pode salvar essa lagoa!

Super-homem - Mas tem alguém se afogando?

Cara - Não, ela tá poluída.

Super-homem - E que que tem?

Cara - Que que tem que isso tá errado. Limpa a lagoa!

Super-homem - Ô rapaz, mas aí eu não tenho muito o que fazer.

Cara - Como assim?

Super-homem - Minha alçada é meio outra. Isso que você quer é um projeto mais a longo prazo.

Cara - Mas ela suja desse jeito vai acabar matando muita gente quando chover e alagar tudo.

Super-homem - É, mas é que eu nem sei muito o que fazer num caso desses.

Cara - Limpa ela.

Super-homem - Sim, amigo, mas não é fácil assim. Tem que fazer todo um processo de dragagem, aspirar os resíduos

sedimentados no fundo, tratar o esgoto proveniente das indústrias.

Cara - Pois é.

Super-homem - Então, aí eu não tenho muito o que fazer.

Cara - Você vai deixar toda essa flora e essa fauna morrerem?

Super-homem - Olha, o que eu posso fazer é ligar prum primo meu que trabalha na prefeitura pra ver se ele consegue alguma coisa.

Cara - Liga pra ele?

Super-homem - Ligo, ligo. É que agora eu tô meio sem crédito, eu ligo de casa.

Cara - Liga do meu.

Super-homem - Ele tá em horário de almoço.

Cara - A gente não tem tempo a perder. Vamos começar, a gente agora fazendo a nossa parte.

Super-homem - Mas você diz "a nossa parte" em que sentido?

Cara - Vamos limpar com as nossas próprias mãos.

Super-homem (olha poluição) - Vamos fazer o seguinte? Eu te levo até o prefeito e você tira satisfação lá com ele.

Cara - Pera aí, aquilo ali boiando é o Aquaman?

  • Tags: