Se dirigir, não vá à festa!

Deus salve o papa

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

27 Junho 2014 | 02h07

O papa Francisco está preocupado! Do jeito que a torcida argentina

está botando fé nele para chegar

ao título, capaz de tentarem

crucificá-lo em caso de eliminação para a Suíça nas oitavas de final!

Com o agravante de que terá o

Messi dividindo a mesma cruz!

Nada é pra já!

Neymar vai jogar de chuteira dourada contra o Chile, mas o torcedor brasileiro não precisa ficar desde já preocupado: salto alto - se rolar! -, só na

finalíssima. Relaxa, vai!

Ópio do povo

Papo de gente que, ligada na Copa, perdeu inteiramente contato com o noticiário de Brasília:

- Quem está vencendo a CPI da Petrobrás?

- Acho que continua zero a zero!

Maracanazo

Flanelinhas cariocas ainda não estipularam o preço da vaga em estacionamento próximo ao Maracanã

no dia da finalíssima da Copa,

mas estão dispostos a facilitar

o pagamento em até seis

cheques pré-datados!

Enfim, enfants

O torcedor de extrema direita

francês está numa sinuca de bico danada nessas oitavas de final:

não vê com bons olhos a própria seleção com tantos descendentes africanos no time, mas também não consegue torcer pela Nigéria, adversária da França nesta

primeira fase do mata-mata!

Efeito Suárez

Uruguai fará plebiscito sobre

a descriminalização da

mordida no ombro!

Não é, evidentemente, motivo de contestação à Lei Seca, mas se há uma coisa que torna a noite de quem não bebe insuportável é a quantidade de maluquices que dizem à sua volta sobre o Brasil depois da terceira taça! Se você é o único sóbrio numa festa, qualquer conversa sobre o País soa a seus ouvidos como discurso em pátio de manicômio.

Tem gente que já no segundo chope parece que tomou um ácido quando o papo descamba para o clichê campeão da falta de assunto na atualidade: "E aí, o que você está achando do Brasil?". Noite dessas de cara limpa, ouvi a seguinte tese de uma das cabeças mais brilhantes do convescote: "A seleção da Copa das Confederações refletia em campo a fibra do povo nas ruas. De lá pra cá, a repressão policial foi tamanha que desmotivou as multidões e, consequentemente, o time do Brasil para a Copa do Mundo!".

Ainda bem que não inventaram bafômetro que acuse este tipo de porre a que são submetidos os motoristas que não bebem.

Mais conteúdo sobre:
Tutty Vasques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.