1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Pitt e Jolie comparecem a evento contra violência sexual em conflitos

BELINDA GOLDSMITH - REUTERS

12 Junho 2014 | 11h 43

Brad Pitt e Angelina Jolie apareceram juntos nesta quinta-feira em uma reunião global sobre o fim da violência sexual em conflitos, em uma amostra de poder de celebridades que, segundo o ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague, estão ajudando no debate sobre a questão do estupro como arma de guerra.

Vestidos de preto, Pitt e Jolie ficaram ao lado de Hague na abertura do terceiro dia do encontro em Londres, no ponto alto de um trabalho conjunto entre a atriz e Hague que já dura dois anos.

Cerca de 1.200 ministros de governos, representantes, ativistas e membros do judiciário e das forças militares de mais de 120 países compareceram ao evento, que busca encontrar soluções práticas para punir os responsáveis por violência sexual, e também ajudar as vítimas.

Hague disse que sua parceria com Jolie, atriz vencedora do Oscar e enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), colocou o tema da violência sexual em conflitos na agenda mundial e é um exemplo de como a política externa pode ser conduzida no futuro.

“Ela traz o que os governos não conseguem… não havia um grande governo no mundo motivando isso”, disse Hague a jornalistas. “Você precisa de algo a mais para ser capaz de alcançar as pessoas que não ouvem facilmente os governos, e a Angelina traz isso, assim como ter grande conhecimento sobre essas questões, e entusiasmo”.

O envolvimento de Jolie em questões humanitárias data de 2001, quando ela viajou para Serra Leoa como embaixadora da boa-vontade do Acnur e viu o impacto de anos de guerra civil, com estimadas 60 mil mulheres estupradas.

Sua ligação com Hague veio após ele a ter contatado em 2011 após ver a estreia dela na direção de um filme, “Na Terra de Amor e Ódio” , que falava do conflito na Bósnia, de 1992 a 1995, no qual mais de 100 mil pessoas morreram e cerca de 20 mil mulheres foram estupradas, segundo estimativas.

A atriz de 39 anos tem comparecido ao evento desde o começo, na terça-feira, mas seu marido, Pitt, participou pela primeira vez nesta quinta, no plenário de abertura.

“Nós, como uma comunidade internacional, nunca fizemos o suficiente para deter esse abuso e fazemos aos sobreviventes um desserviço quando eles sabem que estamos cientes mas não fazemos nada para responsabilizar os perpetradores”, disse ela nesta quinta-feira.

“Hoje, temos uma oportunidade de mudar isso”.

Tanto Jolie quanto Hague salientaram a importância de garantir que o evento não fique apenas nos discursos, mas também ajude a moldar a ação para acabar com a cultura de impunidade sobre violência sexual.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo