Monica Zarattini/AE
Monica Zarattini/AE

Paraty em Foco discute caminhos na era da internet

Evento reuniu 6 mil e lançou concurso destinado a amadores e profissionais residentes no Brasil e em Portugal

Mônica Zarattini / PARATY,

02 Outubro 2012 | 20h07

Seis mil pessoas passaram pela 8.ª edição do Paraty em Foco - Festival Internacional de Fotografia, entre 26 e 30 de setembro, e puderam ter contato com grandes nomes da fotografia nacional e internacional. De fora vieram o inglês Martin Parr, o dinamarquês Peter Funch, o argentino Marcos López, o holandês Michiel Munneke (que é diretor-geral do World Press Photo), o coletivo italiano TerraProject e o chileno Rodrigo Gómez Rovira, entre outros. Daqui, da terrinha, estavam presentes os brasileiros Luciano Candisani, Renan Cepeda, Cristiano Mascaro e Luiz Garrido, com suas fotos expostas em cubos iluminados em diversos pontos do Centro Histórico.

Foram vendidos cerca de 300 livros dos 13 lançamentos ocorridos durante festival, entre eles, de Nair Benedicto, Edu Simões, Marcelo Lerner, Cassio Vasconcelos. Pelo menos 450 interessados participaram dos 23 workshops de diferentes temas, como fine art, fotolivro, retrato, projeto culturais, fotografia de natureza e outros. Participaram coletivos de fotografia como Garapa, Nitro Imagens +Alicate, Galeria Experiência, Amazônia +2, e os fotógrafos Gal Oppido e Pedro Martinelli foram responsáveis por alguns dos melhores momentos do evento, com suas projeções nas paredes dos casarões e na tenda central.

O tema do Paraty em Foco deste ano, organizado por Iatã Cannabrava e Giancarlo Mecarelli, propôs a reflexão em torno da arte fotográfica como documento. A curadora Georgia Quintas entrevistou o fotógrafo Tiago Santana, autor de um trabalho documental consagrado e respeitado internacionalmente. Tiago define sua fotografia como um "encontro". Ela é inter-relacional e, para ele, o resultado é menos importante do que o encontro com o ser humano, o momento em que "mergulha na vida da pessoa, o momento da troca". Sua obra tem forte viés religioso centrado na gente do sertão e, por isso, Tiago lembra a proximidade de seus fragmentos fotográficos aos ex-votos, tão presentes na atmosfera do Crato, interior do Ceará, onde nasceu.

A fotógrafa Claudia Jaguaribe entrevistou o dinamarquês Peter Funch que falou sobre sua série Babel Tales. Peter trabalhou em jornais e depois assumiu um diferente trabalho de autor nessa série. Sentado num banquinho nas esquinas nova-iorquinas, Peter captava mais de 15 mil fotos. Daí garimpava os pontos em comum, os gestos, as características das pessoas e montava na mesma luz e foco sua realidade fake. É como se contasse numa fotografia um filme de uma manhã inteira na Times Square, por exemplo, onde turistas do mundo todo fotografam alucinadamente aquela esquina, todos em diferentes poses como num mesmo momento.

A fotografia de Funch é calcada na ideia da repetição do mundo contemporâneo e vira um documento com senso de humor fino, em que pessoas que não se conhecem ficam lado a lado com gestos idênticos ou parecidos.

O celebrado fotógrafo da Magnum Photos, Martin Parr, interagiu com a cidade carioca de Paraty expondo Praias, uma coleção de 14 imagens de pessoas curtindo areias e mares brasileiros, chilenos, uruguaios e argentinos. Em entrevista ao jornalista Cassiano Elek Machado, o inglês - dono de irreverentes fotos que registram cenas do cotidiano das pessoas em festas, restaurantes, trabalho, escolas - cutucou os fotógrafos presentes em Paraty com sua satisfação de produzir exposições em lugares públicos sem grande investimentos e custos.

Parr questiona a sociedade contemporânea com uma narrativa provocante e direta - tem prazer em expor em porões, paredes de metrô, escolas e vender suas fotos por 2 libras. Ele relatou sua obsessão pelo colecionismo e, principalmente, por fotolivros, os quais não para de produzir em plena era da internet, quando muitos deram sentença de morte ao livro impresso.

A grande novidade dessa edição do Paraty em Foco foi o lançamento do concurso fotográfico Uma Casa Portuguesa com Certeza, destinado a amadores e profissionais residentes no Brasil e em Portugal, que podem postar via Instagram suas fotos com o tema Qual é a sua imagem da casa portuguesa?.

Os fotógrafos premiados ganharão passagens e estadias para a abertura da exposição das fotos selecionadas. Brasileiros irão a Portugal e portugueses virão ao Brasil. No contêiner instalado na Praça da Matriz, em Paraty, pôde-se conhecer algumas das primeiras 1.500 fotos postadas pelos visitantes do evento: enfeites de galos, azeites, bolinhos de bacalhau, rendas, fachadas com azulejos azuis e brancos e do casario de Paraty. Para participar, basta acessar o site www.umacasaportuguesacomcerteza.com e  conhecer todo regulamento.

 

Mais conteúdo sobre:
Paraty em Foco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.