Para seus olhos, duas vezes 007

Milagre na Pista 2

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2012 | 03h12

15H55 NA GLOBO

(Miracle In Lane 2). EUA, 2000. Direção de Greg Beeman, com Frankie Muniz, Rick Rossovich, Molly Hagan, Patrick Levis, Roger Aaron Brown.

Deficiência rara mantém garoto numa cadeira de rodas. O pai, professor universitário, dá duro para aumentar o rendimento e pagar os tratamentos especiais. O filho de inscreve numa corrida de cadeirantes para ganhar um troféu como aqueles que seu irmão coleciona. Baseado numa história real, o filme nem precisa forçar muito a barra para ser emocionante. Reprise, colorido, 120 min.

Stander - Um Policial Contra o Sistema

22H30 NA REDETV

(Stander). Canadá/Alemanha/África do Sul/Reino Unido. Direção Bronwen Hughes, com Thomas Jane, Ashley Taylor, David O'Hara.

Policial branco toma consciência do trabalho sujo que desempenha na repressão à luta contra o apartheid na África do Sul dos anos 1980 e vira ladrão de bancos, para protestar contra o sistema. Pode ser que a ideologia do personagem - e do filme - seja meio atravessada, mas as referências são boas. Reprise, colorido, 116 min.

Replicante

22H45 NO SBT

(Replicant). EUA, 2001. Direção de Ringo Lam, com Jean-Claude Van Damme, Michael Rooker, Catherine Dent, Ian Robison.

Van Damme sempre adorou os personagens duplos e aqui faz replicante que persegue assassino em série (ele mesmo). O criminoso mata jovens mães e incendeia seus corpos diante dos filhos. O diretor Ringo Lam foi importado do cinema de Hong Kong, como o astro havia feito antes com John Woo e Tsui Hark. Só que a parceria não deu muito certo. O filme é apenas médio, mesmo para os padrões de ação de Hollywood. Reprise, colorido, 100 min.

Coração Selvagem

0 H NA REDE BRASIL

(Wild at Heart). EUA, 1990. Direção de David Lynch, com Diane Ladd, Nicolas Cage, Laura Dern, Gregg Dandridge, Isabella Rossellini, Willem Dafoe.

O longa de David Lynch que ganhou a Palma de Ouro em Cannes. Na França, foi lançado como Sailor e Lula. Sailor é Nicolas Cage, que tem fixação em Elvis Presley (e veste botas de caubói de couro de jacaré). Lula é Laura Dern, que ama a Dorothy de O Mágico de Oz. Os dois se apaixonam e caem na estrada, mas são perseguidos pelos capangas da mãe dela, que quer impedir a relação. Não seria um filme de Lynch, se não fosse recheado por personagens bizarros e sugestões veladas (psicanalíticas?) Reprise, colorido, 98 min.

Lucky Luke

4H30 NA REDE BRASIL

(Lucky Luke). EUA, 1991. Direção e interpretação de Terence Hill, com Nancy Morgan.

Famoso por sua criação do personagem Trinity na série homônima de spaghetti westerns, Terence Hill - pseudônimo de Mario Girotti - volta-se aqui para o personagem dos quadrinhos. Lucky Luke enfrenta a quadrilha dos irmãos Dalton, mas quem rouba a cena é Jolly Jumper, o cavalo mais inteligente do Velho Oeste. Reprise, colorido, 85 min.

TV Paga

Com 007 Só Se Vive Duas

Vezes

11H45 NO TELECINE CULT

(You Only Twice). Inglaterra, 1967. Direção de Lewis Gilbert, com Sean Connery, Akiko Wakabayashi, Tetsuro Tamba, Mie Hama, Karin Dor, Bernard Lee, Lois Maxwell, Deslond Llewellyn, Donald Pleasence.

Muitos críticos garantem que o novo James Bond - 007 Contra Skyfall, de Sam Mendes é o melhor de toda a série, mas os fãs ainda suspiram por O Satânico Dr. No e pelo cartaz de hoje da TV paga. Ambos foram realizados por Terence Young, que aqui mostra o herói mais sexista e racista do que nunca. Ele vai ao Japão enfrentar o vilão Donald Peasence, inseparável daquele gato. A loira Karin Dor faz a vilã numa piscina de piranhas e depois deste filme, morena, ela virou a agente dupla de Topazio, de Alfred Hitchcock. O desenho de produção de Ken Adam e os créditos de Maurice Binder são 10. Reprise, colorido, 116 min. Na sequência, às 13h50, passa 007 a Serviço Secreto de Sua Majestade, de Peter Hunt, o único fracasso de bilheteria da série. O insucesso foi creditado ao ator George Lazenby, mas talvez tivesse mais a ver com o conceito de mostrar um James Bond humano (e apaixonado). Não era o que o público queria ver.

Tenda dos Milagres

0H15 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1977. Direção de Nelson

Pereira dos Santos, com Jards

Macalé, Hugo Carvana, Anecy Rocha, Sônia Dias, Emanuel Cavalcanti,

Nildo Parente, Jofre Soares.

Quando Nelson Pereira entrou para a Academia Brasileira de Letras, a mídia lembrou seu trabalho como ilustrador/adaptador da grande literatura brasileira. Só de Jorge Amado, foram duas - este filme e também Jubiabá, em 1986. Embora não tenha sido nenhuma Dona Flor (em termos de bilheteria), a história de Pedro Arcanjo, bedel da Faculdade de Medicina de Salvador que desafia as autoridades baianas no começo do século passado, por seu comportamento libertário (e pela defesa da capoeira, uma prática proibida), é importante por discutir a própria identidade brasileira. Jards Macalé faz o papel e assina canções da trilha. Reprise, colorido, 142 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.