Reprodução
Reprodução

Páginas escondidas no diário de Anne Frank revelam piadas banais e ideias sobre educação sexual

Textos mostram que a adolescente alemã de origem judaica era uma garota comum; ela morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen em 1945, aos 15 anos

Toby Sterling, Reuters

15 Maio 2018 | 23h09

AMSTERDà- Anne Frank no passado colou duas páginas de seu diário com papel colante marrom, deixando um pequeno enigma sobre o conteúdo que a jovem judia, que não tinha ideia do quão famoso seu diário se tornaria, queria excluir.

Agora pesquisadores revelaram a resposta: piadas banais e um resumo de suas ideias sobre educação sexual quando tinha somente 13 anos.

“Qualquer um que leia as passagens que agora foram descobertas não será capaz de esconder um sorriso”, disse Frank van Vree, diretor do Instituto de Estudos da Guerra, Holocausto e Genocídio da Holanda.

Ele disse que as piadas “deixam claro que Anne, com todos seus dons, era acima de tudo também uma garota comum”.

+++ 'O Diário de Anne Frank' vai virar filme e graphic novel 

Anne e sua família se esconderam em um apertado anexo secreto acima de um armazém de julho de 1942 a agosto de 1944, junto a outros quatro judeus. Eles foram traídos e presos pelos nazistas em agosto de 1944.

As páginas, datadas de 28 de setembro de 1942, estavam no diário xadrez vermelho e branco que Anne havia recebido de aniversário em junho daquele ano, pouco antes de se esconder com sua família.

Uma piada envolve um homem que teme que sua esposa esteja cometendo traição. Após procurar na casa, ele encontra um homem nu no armário.

Quando o marido pergunta ao homem nu o que ele está fazendo lá, Anne escreveu, o homem nu responde: “Acredite ou não, estou esperando o bonde”.

+++ Babel: Traição à família de Anne Frank é investigada e vai virar livro

O museu Casa de Anne Frank fotografou as páginas com uma câmera de alta resolução e uma luz iluminando-as durante uma verificação regular da condição do diário em 2016. Depois, pesquisadores perceberam que o texto oculto era parcialmente visível e que softwares modernos provavelmente poderiam decifrá-lo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.