O quinto "Harry Potter" chega ao Brasil

Com a chegada antecipada do quinto volume da saga do bruxinho mais famoso do mundo às bancas e livrarias na quarta-feira, a garotada iniciou uma corrida frenética para comprar Harry Potter e a Ordem da Fênix em primeira mão, por preços que variam de R$ 59 a R$ 61. Quem encomendou nos sites e livrarias terá de esperar a entrega ou, se possível, fazer a retirada no local da compra. Foi o que muitos pottermaníacos fizeram. Outros, porém, ficaram irritados com o "furo" do combinado e preferem esperar pelo lançamento oficial sábado, a partir das 10 horas, quando poderão embarcar nas novas aventuras de Harry Potter e seus amigos. O site Potterish abriu um espaço para comentários dos internautas sobre a venda antecipada. As opiniões foram divergentes. Bruno Souza, por exemplo, escreveu o seguinte: "Quando minha amiga me ligou dizendo que tinha sido a primeira a comprar o livro na Siciliano, eu não acreditei. Era surreal saber que o dia H estava indo por água abaixo. Mais eu não quero nem saber. Vou comprar o livro com os meus amigos no dia." Em entrevista, Bruno contou que leu algumas traduções disponíveis na internet e que achou a narrativa emocionante e envolvente. Rafael, de Pernambuco, achou horrível o livro ter saído antes. "Não por causa dos encontros. Nós estávamos muito ansiosos com o lançamento de Ordem da Fênix, contando os dias, para, de repente, ler a notícia assim: livro é lançado!", escreveu ele. Já Fernando Correa virou a noite de quarta para quinta lendo o livro. Às 5h21, ele deixou seu recado no site: "Povo, comprei o meu livro hoje (quarta), às 16 h. Já estou no oitavo capítulo e tá muito top. É o melhor de todos. Só parei de ler para mandar isso e volto para o meu café e mais Harry Potter. Fiz dois litros de café para a noite inteira. Hoje é o melhor dia da minha vida." No livro, Harry já não é só um garoto. Tem 15 anos e enfrenta dramas típicos da idade. Fica mal-humorado, irrita-se com a imprensa, se apaixona - e vê um dos personagens centrais da obra morrer. E, dessa vez, não conta com a proteção de Dumbledore - o diretor da escola de magia é afastado de Hogwarts. As 704 páginas da edição em português foram reproduzidas 300 mil vezes. "Para livraria, ou seja, tirando os didáticos, acho que essa é a maior tiragem já feita no Brasil", afirma Paulo Rocco, editor da obra. Quanto foi gasto em marketing? Isso ele não diz, só fala que foi "muito, muito".

Agencia Estado,

28 Novembro 2003 | 15h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.