Andrew Kelly/REUTERS
Andrew Kelly/REUTERS

O efeito Weinstein: A lista dos homens acusados de assédio sexual e o impacto sobre eles

Desde as denúncias de assédio sexual contra Harvey Weinstein, inúmeros homens da indústria do entretenimento vêm sendo alvo de acusações

Associated Press

28 Novembro 2017 | 14h08

Desde outubro, quando o The New York Times divulgou as acusações de assédio sexual e estupro contra o magnata de Hollywood, Harvey Weinstein, inúmeros homens da indústria do entretenimento, da mídia e da política, nos Estados Unidos e em outros lugares, vêm sendo alvo de acusações que envolvem desde conduta sexual inapropriada até estupro.

Claro que muitos homens famosos foram acusados pelas mesmas razões anteriormente. Mas o caso de Weinsten abriu as comportas, desencadeando uma discussão internacional a respeito e obrigando empresas, setores e líderes políticos a responderem. O presidente Donald Trump condenou alguns dos acusados, silenciou no caso de outros e também foi alvo de acusações de assédio e conduta inapropriada, levantadas contra ele durante a campanha presidencial. O republicano diz que são falsas.

O movimento MeToo também vem provocando um reexame de alegações de assédio sexual feitas no passado contra figuras poderosas, incluindo o ex-presidente Bill Clinton na década de 90. Clinton sofreu um impeachment e depois foi absolvido de acusações de perjúrio e obstrução das investigações sobre seus encontros sexuais com uma estagiária da Casa Branca, e encerrou por meio de acordo ação judicial movida contra ele quando foi governador de Arkansas.

++ Quem é Harvey Weinstein?

Entre os acusados desde a eclosão do escândalo envolvendo Weinstein estão:

- O famoso chefe John Besh – acusado por 25 mulheres de assédio sexual. Ele se demitiu da empresa que fundou.

- O cantor Nick Carter – acusado pela cantora pop Melissa Schuman de tê-la estuprado há 15 anos. Ele nega.

- O comediante Louis C.K. – acusado por cinco mulheres de conduta sexual inapropriada. O planejado lançamento do filme I Love You Daddy foi suspenso e um especial da Netflix foi cancelado. Ele admitiu as acusações e pediu desculpas.

- Hadrian Belove e Shadie Einashai, diretores da sala de cinema Cinefamily de Los Angeles - acusados de conduta sexual imprópria. O cinema foi fechado após as acusações e em razão de dívidas gigantescas.

- O ator Richard Dreyfuss – uma mulher o acusou de assédio sexual, acusação que ele nega.

- O produtor de cinema Adam Fields – acusado de oferecer uma promoção a uma mulher em troca de sexo quando trabalhava na empresa Relativity Media. Ele negou as acusações.

- O produtor e diretor Gary Goddard – acusado por um homem de ter sido abusado sexualmente por ele quando tinha 12 anos. Goddard nega.

- O encarregado de seleção de elenco Andy Henry – ele admitiu ter pedido para mulheres tirarem a roupa durante sessões de coaching em 2008 quando trabalhou na série CSI. Henry foi despedido por seu atual empregador.

- O ator Dustin Hoffman – acusado por uma mulher de assédio quando ela tinha 17 anos. Ele se desculpou.

- O ator Robert Knepper – uma mulher o acusou de abuso sexual. Ele nega.

- O escritor e produtor de TV Andrew Kreisberg – acusado por 19 mulheres de assédio sexual e conduta sexual inapropriada. Kreisberg foi suspenso pela Warner Bros. Ele disse à revista Variety ter feito comentários sobre as aparições e roupas das mulheres, “mas não tinham conotação sexual”.

O diretor de animação da Pixar e Disney Animation, John Lasseter – acusado por várias mulheres de tocá-las contra a vontade delas. Lasseter anunciou que ficará de licença por seis meses. Admitiu alguns tropeços e pediu desculpas pelo seu comportamento.

- O ator Jeremy Piven – acusado por três mulheres de conduta inapropriada. Ele nega.

- O cineasta Brett Ratner – acusado por pelo menos seis mulheres de assédio sexual. A revista Playboy engavetou projetos com Ratner que também abandonou as atividades relacionadas na Warner Bros. Ele nega as acusações.

- O organizador de festival de comédia Gilbert Rozon, acusado por pelo menos nove mulheres de assédio ou mesmo abuso sexual. Ele deixou a direção do famoso programa Just for Laughs ou Juste pour Rire, de Montreal, e pediu desculpas a “todas as mulheres que ultrajei em minha vida”.

- O produtor Chris Savino – acusado de abuso sexual por 12 mulheres. Foi demitido do canal Nickelodeon. Pediu desculpas por seu comportamento.

- O ator Steven Seagal – acusado de estupro por duas mulheres. Ele nega as acusações.

- O magnata Russell Simmons, da Def Jam Records – acusado pela modelo Krei Claussen Khalighi de coagi-la a uma cena de um ato sexual e de estuprá-la em seu apartamento em Nova York, em 1991. Ele contestou o relato da modelo, afirmando que a relação foi consensual.

- O ator Tom Sizemore – acusado de acariciar uma atriz de 11 anos de idade em 2003. Os promotores do Estado de Utah rejeitaram a ação contra ele, alegando problemas de provas e testemunhas. Ele nega a acusação.

- O ator Kevin Spacey – acusado por pelo menos 24 homens de conduta sexual inapropriada. A polícia londrina estaria investigando dois casos de abuso sexual. Ele foi demitido da série House of Cards e substituído no filme de Ridley Scott All the Money in the World (Todo o dinheiro do mundo). O Ministério Público de Massachusetts investiga uma nova acusação. Seu agente diz que ele vem se submetendo a tratamento.

- O ator Jeffrey Tambor – uma atriz do seu programa Transparent, e sua assistente o acusam de conduta sexual imprópria. Ele nega a acusação e disse em comunicado que “nunca foi um predador”. O ator declarou que não sabe se retornará à série da Amazon.

- O ator George Takei – um homem o acusa de abuso sexual. Ele nega.

- O diretor e roteirista James Toback – acusado por centenas de mulheres de assédio sexual. A polícia de Beverly Hills vem investigando as queixas. Em entrevista ao Los Angeles Times ele rejeitou as acusações.

- Matthew Weiner, o criador de Mad Man – acusado de assédio sexual por uma mulher. Ele nega.

- O produtor Harvey Weinstein – acusado por dezenas de mulheres de assédio ou abuso sexual, incluindo estupro. Foi demitido pela The Weinstein Company e expulso de vários sindicatos. Vem sendo investigado pela polícia de Nova York, Londres, Beverly Hills e Los Angeles. Ele nega todas as alegações de sexo sem consentimento, mas pediu desculpas por ter causado “muito sofrimento diante da maneira como me comportei com colegas no passado”.

- O ator Ed Westwick – acusado por duas mulheres de abuso sexual. A BBC retirou uma adaptação de Agatha Christie da sua escala de programas e suspendeu a produção de uma segunda novela que seria estrelada pelo ex-ator de Gossip Girl. A polícia de Los Angeles investiga o caso. Westwick nega as acusações feitas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.