1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Novo espaço de teatro será o primeiro multiuso de São Paulo

- Atualizado: 20 Março 2016 | 06h 01

Com 2.085 lugares, Teatro Santander oferece quatro diferentes possibilidades de configuração graças ao recolhimento das cadeiras

Ser inaugurado com um musical do naipe do We Will Rock You revelou-se um tremendo desafio para o Teatro Santander, que abre oficialmente suas portas na quinta-feira, dia 24 – até lá, terá havido uma série de apresentações para convidados e patrocinadores.

Com capacidade total para até 2.085 espectadores, o teatro consumiu um investimento superior a R$ 100 milhões bancados pelos grupos WTorre e Iguatemi, com naming rights adquiridos pelo banco espanhol pelo prazo de 12 anos renováveis por mais oito.

Apontado como o primeiro com uso múltiplo em São Paulo, o espaço poderá receber desde grandes musicais, concertos, desfiles de moda, shows e dramaturgia, até eventos corporativos, entre outros, graças a um sistema de recolhimento automático das poltronas e de varas cênicas automatizadas, que permitem a mudança de configuração do espaço em pouco tempo.

Teatro Santander
Teatro Santander
“O teatro é um espaço multiuso único no País, com diferenciais de tecnologia e infraestrutura inéditos”, comenta, em material distribuído pela assessoria de imprensa, Rogério Dezembro, CEO da WTorre Entretenimento.

A construção exigiu 60 mil blocos de vidro importados da República Checa e uma iluminação de LED controlada por computador. A fachada do teatro foi projetada pelo arquiteto Edo Rocha. O projeto de desenvolvimento é assinado pelo escritório de arquitetura americano Eskew+Dumez+Ripple (EDR) que, entre outras obras, criou o Acadiana Center for the Arts e o The Shaw Center for the Arts, ambos nos Estados Unidos.

Com a inauguração do Teatro Santander, São Paulo amplia seus espaços capazes de abrigar com eficiência grandes eventos como musicais de porte, que pedem, por exemplo, fosso para orquestra – até então, as produções de maiores proporções se concentram nos teatros Alfa, Bradesco e Renault.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX