'Mundo do cinema sente-se órfão', diz presidente do Festival de Cannes

Gilles Jacob lamenta morte dos cineastas Michelangelo Antonioni e Ingmar Bergman

Phil Stewart e Nicola Scevola , Reuters

07 Julho 2031 | 12h43

"Pela segunda vez em 24 horas o mundo do cinema sente-se órfão", disse Gilles Jacob, o veterano presidente do Festival de Cinema de Cannes, segundo a agência de notícias italiana Ansa. Jacob lamentou a morte de  Michelangelo Antonioni, que descreveu como "alquimista da intimidade, o arquiteto do tempo e do espaço no cinema contemporâneo", e do cineasta sueco Ingmar Bergman. Os dois faleceram na segunda-feira, 30.   Veja também: Galeria de fotos Trailer de Blow-up - Depois Daquele Beijo Blog do Zanin: Morreu Antonioni Morre o cineasta sueco Ingmar Bergman   Michelangelo Antonioni, um dos mais influentes cineastas italianos, morreu aos 94 anos, deixando como herança filmes que retratam a angústia existencial e a incomunicabilidade da sociedade moderna. Entre seus trabalhos mais famosos estão o indicado ao Oscar Blow-up - Depois Daquele Beijo, Zabriskie Point e a trilogia internacionalmente aclamada composta por A Aventura, A Noite e O Eclipse. O presidente italiano Giorgio Napolitano também lamentou a morte de Antonioni, dizendo que a Itália "perdeu um dos maiores protagonistas do cinema e um dos maiores exploradores da expressão no século 20". O corpo de Antonioni será velado com honras de Estado na manhã da quarta-feira, na sede da prefeitura de Roma. Seu enterro será na quinta-feira em Ferrara, sua cidade natal.

Mais conteúdo sobre:
Antonioni italiano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.