Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Morre o roqueiro francês Johnny Hallyday aos 74 anos

Cantor conhecido como 'Elvis francês' passava por tratamento contra câncer no pulmão

AFP

06 Dezembro 2017 | 01h03

PARIS - O roqueiro francês Johnny Hallyday, muito famoso no país de origem e conhecido como o 'Elvis francês', morreu na madrugada desta quarta-feira, 6, aos 74 anos, devido a um câncer no pulmão, informou à AFP a mulher dele, Laeticia. "Johnny Hallyday se foi. Escrevo estas palavras sem crer. Mas é assim. Meu marido já não está aqui. Nos deixa nesta noite como viveu por toda a sua vida, com coragem e dignidade", disse em comunicado.

"Até o útlimo momento, se manteve firme diante desta enfermidade que o consumia há meses, dando a todos nós lições de vida extraordinárias", acrescentou a mulher do cantor. Jean-Philippe Leó Smet, nome real do cantor, anunciou em março que estava passando pelo tratamento contra a doença. Na época, ele sabia que o câncer estava em fase de metástase e foi detectada nos pulmões em novembro de 2016.

Há um mês, Hallyday foi levado para o hospital por conta de uma insuficiência respiratória. Depois de passar seis dias na clínica, o francês decidiu voltar para casa, em Marnes-la-Coquette, a oeste de Paris, onde morreu. Desde então, Laeticia não havia publicado nada nas redes sociais. A falta de informações foi vista como mau sinal, uma vez que a mulher dele era a responsável por informar sobre o estado de saúde do marido.

Nascido no dia 15 de junho de 1943, a estrela do rock francês animou três gerações de fãs, gravou 40 álbuns e vendeu mais de 100 milhões de discos no mundo em mais de 50 anos de carreira. Na França, Hallyday sempre foi comparado e admirado como se fosse Elvis Presley. O pai do rock n' roll francês e do twist ganhou 18 discos de platina desde que lançou o primeiro álbum, em 1960, intitulado Hello Johnny. /AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Paris [França] câncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.