Valéria Gonçalvez/AE
Valéria Gonçalvez/AE

Morre o carnavalesco Joãosinho Trinta

Ele estava internado em São Luís, no Maranhão, com problemas respiratórios

Juliane Freitas e Marcio Claesen, estadão.com.br

17 Dezembro 2011 | 11h30

São Paulo, 17 - Morreu neste sábado, 17, às 9h55, o carnavalesco Joãosinho Trinta. Ele estava internado no Hospital UDI em São Luís, no Maranhão, desde o dia 3 de dezembro.

 

Segundo a assessoria do carnavalesco, o sepultamento na segunda feira, 19, às 10h, porém, ainda não foi divulgado o local do enterro. O corpo será velado em São Luís.

 

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, a morte foi causada por choque séptico secundário, pneumonia e infecção urinária. O carnavalesco iria passar por uma cirurgia em breve. Boletim médico divulgado nesta sexta-feira, 16, indicava que seu estado era grave.

 

João Clemente Jorge Trinta tinha 78 anos e era artista plástico. O carnavalesco, nascido em São Luís em 1933, mudou-se para o Rio de Janeiro aos 18 anos. Sua história de sucesso no carnaval começou em 1965 quando venceu o campeonato, ainda como assistente no Salgueiro. Pela mesma escola, ele ainda venceria em 1969 e em 1971.

Já como titular da agremiação da Tijuca, Joãosinho ganhou em dois anos consecutivos, em 1974 e 1975.

 

Após divergências com a diretoria da escola, o carnavalesco foi para a Beija-Flor, onde sagrou-se campeão por cinco vezes entre 1976 e 1983.

Um de seus enredos mais famosos é "Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia", que levou a imagem do Cristo Redentor coberta na Marquês de Sapucaí em 1989. A escola ficou em segundo lugar, atrás da Imperatriz Leopoldinense.

 

Mais conteúdo sobre:
Joãosinho Trinta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.