Leia trecho de Terra Sonâmbula, de Mia Couto

Lançado em 1993, livro sobre guerra civil em Moçambique ganha nova edição

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 09h17

O menino, e Tuahir, o velho, caminham em meio à destruição, em busca de "um outro continente dentro da África". O local é Moçambique, agonizante por uma guerra civil, banhado por sangue, lágrimas e povoado por seres que andam à deriva. Foi em meio a esse terrível tumulto que Mia Couto escreveu Terra Sonâmbula (Companhia das Letras, 208 pág., R$ 38), lançado em 1993 e que ganha agora nova edição, promovendo a vinda do escritor para Festa Literária de Paraty, a Flip, em julho. Leia trecho abaixo: Naquele lugar, a guerra tinha morto a estrada. Pelos caminhos só as hienas se arrastavam, focinhando entre cinzas e poeiras. A paisagem se mestiçara de tristezas nunca vistas, em cores que se pegavam à boca. Eram cores sujas, tão sujas que tinham perdido toda a leveza, esquecidas da ousadia de levantar asas pelo azul. Aqui, o céu se tornara impossível. E os viventes se acostumaram ao chão, em resignada aprendizagem da morte. A estrada que agora se abre a nossos olhos não se entrecruza com outra nenhuma. Está mais deitada que os séculos, suportando sozinha toda a distância. Pelas bermas apodrecem carros incendiados, restos de pilhagens. Na savana em volta, apenas os embondeiros contemplam o mundo a desflorir.

Mais conteúdo sobre:
Terra Sonâmbula Mia Couto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.