1. Usuário
Assine o Estadão
assine


'Kirikou-Os Animais Selvagens' é alternativa de animação

Reuters

31 Dezembro 1969 | 21h 00

Paisagens africanas retratadas no filme são especialmente originais, bem como os traços dos personagens

Sequência de Kirikou e a Feiticeira (1998), o desenho animado francês Kirikou - Os Animais Selvagens retoma a história do minúsculo menino africano Kirikou, mais uma vez enfrentando a terrível feiticeira Karabá, que ameaça a sobrevivência de sua aldeia. O filme estréia nesta sexta-feira em dez cópias, todas dubladas, em São Paulo, Santo André e São Bernardo do Campo. Michel Ocelot, diretor do filme original, está novamente à frente da produção, mas desta vez contando com uma diretora assistente, Bénédicte Galup. A produção consumiu um ano e meio, dos storyboards aos desenhos propriamente ditos, que foram realizados em três países: França, Vietnã e Letônia. A participação de cerca de duzentos técnicos de diferentes nacionalidades contribui para que se mantenha o visual do desenho independente da escola norte-americana de animação, representada por estúdios como Disney/Pixar, DreamWorks e outros. As paisagens africanas que se vêem aqui são especialmente originais, bem como os traços dos personagens, suas roupas e objetos. Kirikou - Os Animais Selvagens compreende quatro histórias inspiradas, como o filme de 1998, em lendas do oeste africano. Na primeira, o pequeno Kirikou, que todos pensavam ter se afogado, se recupera e ajuda sua aldeia a recomeçar a agricultura. No desenho anterior, a feiticeira esgotara o suprimento de água dos aldeões, mas Kirikou encontrou uma nova fonte. Em seguida, a comunidade terá de enfrentar uma hiena gigantesca que invade sua horta, destruindo boa parte da plantação, já no ponto de ser colhida. Kirikou tem a idéia de que todos façam potes de cerâmica para vender na cidade, ganhando dinheiro para comprar alimentos. Ele mesmo vai fazer o maior sucesso com seus potinhos em miniatura. Kirikou vive uma grande aventura quando faz um passeio sentado na cabeça de uma girafa, o que lhe permite conhecer paisagens nunca vistas antes. Seu problema, depois, vai ser encontrar um jeito de descer lá de cima sem se machucar. A última e mais perigosa missão do menino surge quando todas as mães da aldeia adoecem. Uma bebida que tomaram foi envenenada pela feiticeira. Kirikou vai se disfarçar para colher a planta que dá o antídoto em pleno jardim da bruxa, que é vigiado por seus perigosos robôs. Kirikou - Os Animais Selvagens é mais indicado para crianças pequenas, recorrendo várias vezes a canções para contar suas histórias. Ao mesmo tempo, procura também ser agradável para platéias de todas as idades. Na trilha sonora, astros da world music, como o camaronês Manu Dibango, com canções da malinesa Rokia Traoré e do senegalês Youssou N'Dour, que já havia participado da trilha do primeiro filme. (Por Neusa Barbosa, do Cineweb)