José Saramago dá seu apoio à liberdade de imprensa na Itália

O filósofo Bernard-Henri Levy e o escritor Amós Oz também aderiram ao manifesto contra ato de Berlusconi

Efe,

15 Setembro 2009 | 17h57

O escritor e poeta português José Saramago, Prêmio Nobel de Literatura em 1998, aderiu a um abaixo assinado em favor da liberdade de imprensa em adesão ao jornal La Repubblica, que foi processado pelo primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, por "difamação", informou nesta terça, 15, o jornal italiano.

 

Mais de 350 mil pessoas aderiram à iniciativa de apoio ao jornal do grupo L'Espresso, que foi lançada por três advogados, Franco Cordero, Stefano Rodotà e Gustavo Zagrebelsky.

 

Ontem se somaram também as assinaturas do filósofo francês Bernard-Henri Levy, do escritor israelense Amós Oz e do diretor francês Claude Lanzmann.

 

O ataque a La Repubblica "é interpretável só como uma tentação de render ao silêncio a liberdade de imprensa, de anestesiar à opinião pública, de isolar da circulação internacional a informação, definitivamente de fazer de nosso país uma exceção da democracia", refere o jornal.

 

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, entrou com processo no dia 24 de agosto contra o diário por "difamação" por artigos sobre sua vida privada e por dez perguntas ao presidente do Conselho sobre suas supostas relações com a jovem Noemi Letizia, prostitutas e o uso de aviões oficiais, entre outras.

 

Berlusconi pede um ressarcimento de um milhão de euros ao grupo L'Espresso, ao que pertence o diário, que durante dois meses publicou periodicamente dez perguntas sobre a vida privada de Berlusconi.

Mais conteúdo sobre:
Saramago

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.