Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

José Luiz Passos vence Prêmio Portugal Telecom de Literatura

'O Sonâmbulo Amador' foi eleito o melhor romance; Cíntia Moscovich e Eucanaã Ferraz foram eleitos em contos e poesia, respectivamente

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2013 | 22h14

O escritor pernambucano José Luiz Passos ganhou ontem o Prêmio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa. Seu segundo livro, O Sonâmbulo Amador (Editora Alfaguara), foi considerado também o melhor na categoria romance, concorrendo com outros três finalistas: Daniel Galera (Barba Ensopada de Sangue) -- que acaba de vencer o Prêmio São Paulo --, Miguel Sanches Neto (A Máquina de Madeira) e o angolano Valter Hugo Mãe (O Filho de Mil Homens). História de um funcionário de uma indústria têxtil pernambucana, narrada depois de seu surto psicótico, o romance de José Luiz Passos era o mais cotado, conforme adiantou o Caderno 2.

Passos prepara um  novo livro que vai se chamar História Natural da Visita, obra sobre a capacidade de metamorfose das pessoas, como elas se transformam teatralmente quanto tem de visitar lugares como cemitérios e igrejas.

O livro foi inspirado pela visita que o escritor pernambucano a um armeiro húngaro no Recife. Assim, estabelece elos entre este e o avô que era químico e se casou com uma americana. Vale lembrar que José Luiz Passos tem dois filhos americanos, Cecília, 7, e Antônio, 4, que cobram do pai um livro para ler em inglês. Ele ainda não recebeu propostas de tradução do seu livro premiado pela Portugal Telecom.

Na categoria contos, o livro premiado foi Essa Coisa Brilhante Que é a Chuva (Editora Record), da escritora gaúcha Cíntia Moscovich, nascida em Porto Alegre, em 1958. A obra reúne nove contos da autora, jornalista e mestre em Teoria Literária, que tem romances traduzidos na Itália e Espanha.

Cíntia concorreu pela terceira vez ao prêmio, e não tinha expectativa de vencer. Disse que agora vai dar um tempo do gênero que a premiou e trabalha em um romance, Leite Negro. O título é baseado numa poesia Paul Celan cujo temática é a Segunda Guerra Mundial e a experiência da doença de um dos personagens. Cíntia declarou que as suas primeiras referências eram escritores judeus como Moacir Scliar e Clarice Lispector, que a fez entender que ela poderia escrever.

O poeta carioca Eucanaã Ferraz, nascido em 1961 e professor de literatura brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi o vencedor na categoria poesia com seu sexto livro, Sentimental (Editora Companhia das Letras), que reúne 57 poemas.

O Prêmio Portugal Telecom distribuiu R$ 200 mil em prêmios: R$ 100 mil para José Luiz Passos (pelo Grande Prêmio e pela categoria romance), R$ 50 mil para Cíntia Moscovich e R$ 50 mil para Eucanaã Ferraz. Durante a cerimônia foi lançada a obra Livro das Palavras, organizada pela curadora do prêmio, Selma Cateano, e o escritor José Castello, que reúne entrevistas e ensaios sobre a obra de 27 ganhadores do prêmio, que chega agora à 11ª edição.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.