John Travolta vira uma musa de 150 quilos em 'Hairspray'

Ator de 'Os Embalos de Sábado a Noite' se esmera para usar minissaia e se equilibrar em salto alto no filme

Flávia Guerra, do Estadão,

31 Dezembro 1969 | 21h00

Durante o festival de Locarno, na Suíça, que teve como uma das atrações o musical "Hairspray - Em Busca da Fama na Europa, em agosto, o diretor Adam Shankman era só sorrisos. Durante a conversa que ele e elenco tiveram com o ""Estado, a trupe mais parecia uma turma de colégio do que uma equipe em mais uma daquelas enfadonhas turnês de grandes lançamentos de Hollywood. Shankman, que também é coreógrafo tarimbado na Broadway, destilava frases de efeito. "Não foi difícil convencer John (Travolta) a virar uma mulher. Disse o essencial. Homem ou mulher, queria que ele interpretasse um personagem orgulhoso de seu corpo e de si."   Trailer de Hairspray   "É verdade. E, afinal, é fato de que as mulheres sempre têm os melhores papéis nos musicais. Basta pensar em Chicago", rebateu o astro de "Embalos de Sábado à Noite que, em "Hairspray, volta a chacoalhar os quadris diante das câmeras. Mas agora ele esmera para usar minissaia e se equilibrar em um salto alto sobre os 150 quilos de sua personagem, a singela Edna Turnblad.   Em "Hairspray, ele é essa dedicada dona de casa casada com Christopher Walken. "A gente faz muita piada sobre isso. Mas não foi fácil. Não queria que o público visse um homem travestido de mulher. Acho que consegui. No fim das filmagens, até a equipe me tratava como mulher, me oferecia cadeiras, trazia chá. Pode parecer brincadeira, mas juro que me senti até sexy", brinca ele, que entregou sua receita de beleza: "Nada como grandes seios e um bumbum volumoso. Para completar, cintura estreita".   Muitos dizem que "Hairspray é uma bobagem. Mas, justiça seja feita, uma deliciosa bobagem. Daquelas que fazem a alegria na matinê de domingo. Não foi à toa que esse musical inspirado no sucesso de John Waters que vem abalando a Broadway há alguns anos fez a alegria das 7 mil pessoas que lotaram a Piazza Grande, o principal cenário do Festival de Locarno. Irresistível a cena em que Travolta dança no melhor estilo Ginger Rogers e Fred Astaire, com seu marido. Mas não tem beijo no final? "Aí você está querendo demais. Adoro o Walken, mas nem tanto. O que gosto mesmo no casal é o fato de o marido gostar dela exatamente como é. Não quer que Edna perca um grama sequer", brincou Travolta.   "Shankman tinha razão. Adoro as mulheres. E também adorei me tornar uma. E me orgulho muito da Edna. Sempre morri de amores por minha mãe, minhas irmãs. Hoje me derreto por minha mulher Kelly e minha filha Ella."   De orgulho, Travolta e Shankman entendem. Shankman é diretor tarimbado e um dos coreógrafos mais prestigiados dos EUA. Entre os projetos que já comandou, estão "Prenda-me se For Capaz (em que coordenou as coreografias) e direção de "O Pacificador. Completam o elenco de "Hairspray as divas Queen Latifah, Michelle Pfeiffer e Nikki Blonsky, de apenas 19 anos. "Quando recebi a notícia de que havia sido aceita para o papel de Tracy, chorei. Era meu sonho. Nossas histórias têm muito em comum", contou a jovem que trabalhava em uma sorveteria.   A história de Tracy: "Hairspray é de fato o spray para cabelos que patrocina o programa Corny Collins Show. Há um concurso para eleger a Hairspray Teenager Girl e Tracy acha que jamais será capaz de vencer. Por quê? Porque é gorda. Filha de Edna (Travolta), ela é uma típica garota do subúrbio da cidade americana de Baltmore que jamais vai deixar de saborear um brownie para economizar na balança. É nesse ponto que muitos vêem no filme uma crítica à cultura da magreza a qualquer custo.   "O filme, mesmo sem fazer discurso, celebra, sim, a beleza natural. As divas da minha geração eram muito mais cheias de curvas. Não sei o porquê de tanta neurose para querer ser esquálida. Uma mulher com curvas é extremamente sexy", diz Travolta.   Nikki assina embaixo. "Vi o musical quando tinha 15 anos e disse: Ela sou eu. E no mesmo momento eu quis entrar para o elenco. Controlava toda semana no site do musical se havia sido aberta alguma vaga para fazer o papel da Tracy. Quando tinha 16, consegui fazer o teste, mas não passei. Aos 17, soube que estavam fazendo testes para o filme e mandei uma fita", conta a garota, que não vê problema nenhum em ser chamada de "gordinha sensual".   ""Hairspray é isso. Mais que um filme, mudou minha vida. Porque por meio dele eu pude afirmar tudo que sempre acreditei. Uma pessoa não deixa de ser bonita só porque esta acima do peso", diz.   Nick ganhou o papel. Mas Tracy não ganha o concurso Garota Hairspray. Quem leva é a gracinha Little Inez (Taylor Parks), jovem talentosa e negra. Justamente no dia do concurso, negros não podiam participar do Corny Collins. É aí que entra em cena Queen Latifah. A diva negra faz o papel da mãe de Inez. Michelle Pfeiffer é a vilã da história, que proíbe negros de participarem. Linda e divertida, ela é a típica loira platinada que trabalha no programa e manipula os votos do público para que sua filha, Amber Von Tussle (Brittany Snow), ganhe o concurso todos os anos.       Hairspray - Em Busca da Fama (Hairspray, EUA/2007, 107 min.) - Comédia musical. Direção de Adam Shankman. 12 anos. Cotação: Bom

Mais conteúdo sobre:
Hairspray John Travolta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.