Harry Potter atrai turistas para lugares onde foi filmado

Locais que aparecem em filmes da saga do bruxo são campeões de visitação

Agencia Estado

07 Junho 2014 | 17h54

Para autoridades de turismo ansiosas por atrair visitantes ao Reino Unido, Harry Potter representa lugares ideais para férias - e o livro e o filme mais recentes certamente vão suscitar um aumento da "Pottermania." O mago adolescente sabe como balançar sua varinha mágica sobre catedrais, faculdades e castelos. O fato de um lugar figurar em um filme da série Harry Potter é garantia de seu sucesso turístico. Tom Wright, executivo chefe da VisitBritain, diz: "Estimamos que um em cada cinco dos visitantes internacionais ao Reino Unido hoje é inspirado a vir pelas imagens que vê no cinema e na televisão." O Senhor dos Anéis deu um incentivo maciço ao turismo da Nova Zelândia, pelo fato de ter sido filmado nesse país. E o Havaí foi um pano de fundo para Indiana Jones e Elvis Presley. O sucesso mundial de O Código Da Vinci, de Dan Brown, serviu de grande reforço aos operadores de viagens especiais no Reino Unido. Mas nada se equipara à longevidade de Harry Potter. Atrações Harry Potter and the Deathly Hallows (Harry Potter e as Relíquias da Morte), último livro de J.K. Rowling sobre a saga do menino bruxo, chegará às lojas em julho, no dia 21, após o lançamento de Harry Potter e a Ordem da Phoenix. "Teremos provavelmente maior procura logo antes do lançamento de um novo livro ou filme Harry Potter", contou Jason Doll-Steinberg, da British Tours, cujas reservas para o verão estão crescendo outra vez. "Os filmes são grande publicidade para um país. Foi uma grande pena que O Senhor dos Anéis não foi rodado aqui. A Nova Zelândia se beneficiou de um fenômeno britânico." No castelo de Alnwick, o maior castelo britânico habitado depois do de Windsor e que é usado em cenas de exteriores nos filmes Harry Potter, Philippa Pendrich disse: "Antes de Potter, tínhamos cerca de 68 mil visitantes por temporada. No ano passado, tivemos 195 mil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.