1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Grandpa elliott. A celebridade das ruas

O Estado de S.Paulo

26 Abril 2010 | 00h 00

NEW ORLEANS

Quando ele tinha 6 anos, o padrasto matou a mãe em Nova York a pancadas. Foi criado pela avó, que o trouxe de volta a New Orleans para reconciliá-lo com suas raízes. "Toda mulher deve saber: quando um homem ergue o braço para ela uma vez, está na hora de deixá-lo. Porque ele vai pedir desculpas, e então vai se tornar cada vez pior"", aconselha. Todo mundo o conhece na cidade: cego como Ray Charles, anda de bicicleta colorida e usa roupas excêntricas.

Aos 65 anos, o ex-artista de rua Grandpa Elliott Small vive seu momento de redescoberta. Costumava cantar numa esquina do turístico French Quarter, mas, em 2008, um vídeo na internet no qual cantava, numa grande colagem musical, o clássico de Ben E. King, Stand by Me, tornou-o um hit instantâneo. Grandpa acaba de gravar seu primeiro disco, e apresentou-se na tenda do blues do Jazz Fest completamente lotada (aplaudido de pé ao fim, cantou a capella e fez muita gente chorar). O velho Grandpa é amado pelos cidadãos locais e começa a se tornar também um mito entre os admiradores da boa música.

Canta com segurança e não é apenas uma cópia de Louis Armstrong, como é comum por aqui. "Toda a minha vida eu tenho tentado entreter as pessoas", diz Grandpa, que é a modéstia em pessoa (seu nome de batismo é Elliot Small, e nasceu em 1945). Ele chegou a fazer trabalhos com Fats Domino e outras figuras lendárias, mas nunca tinha passado daquela esquina. Agora, Grandpa Elliott tornou-se uma figura a ser descoberta. Já esteve no Tonight Show de Leno e o primeiro disco foi lançado pelo projeto Playing for Change, empreitada multimídia criada pelo produtor e engenheiro Mark Johnson.

Antes de ser assassinada, a mãe de Grandpa Elliott Small almejou para ele uma carreira como dançarino na Broadway. Ele ainda dança no palco, mas seu negócio é cantar e tocar sua gaita Hohner. Como os velhos sambistas cariocas, compôs canções que viraram sucesso dos outros - muitas de suas músicas foram "garfadas" por colegas espertos. Seu maior sucesso é a canção I"m a Devil, produzida por uma lenda de New Orleans, Wardell Quezergue. Outra música que faz muito sucesso na região é Girls are Made for Loving. O vídeo no qual aparece cantando Stand by Me teve mais de 30 milhões de acessos no Youtube. Um dia, há 8 anos, um sujeito chamado Tom Gilmore, de Chicago, deu uma gaita a Grandpa. "Esse homem é meu salva-vidas", ele diz. Desde então, sempre que vem a Chicago, Gilmore traz mais gaitas. / J.M.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo