Feira de Arte de Basiléia começa com presença brasileira

Evento suíço é considerado um dos mais importantes do mundo das artes

Agencia Estado

14 Junho 2007 | 18h00

A Feira de Arte de Basiléia, considerada uma das mais importantes de arte moderna e contemporânea do mundo, será aberta nesta terça-feira, 12, na cidade suíça, com a cooperação das outras três principais mostras artísticas atuais: a Bienal de Veneza, que acontece na Itália, a Documenta de Kassel e a Skulptur de Münster, ambas realizadas na Alemanha. Até 17 de junho, mais de 300 galerias de arte de 30 países - entre elas, três brasileiras - mostrando trabalhos de mais de 2 mil artistas desde o século passado estarão espalhadas pelas imensas salas do palácio de convenções e exposições de Basiléia. Os organizadores estimam que a partir de quarta-feira, Quando a feira será aberta ao público, mais de 55 mil colecionadores, marchands, artistas, curadores de museus ou simplesmente amantes da arte passarão pela exposição. "A mostra é considerada o mais importante encontro anual do mundo da arte. É incontestavelmente o maior acontecimento dedicado à arte moderna e contemporânea", disseram os organizadores. Segundo organizadores, sua reputação "reside na grande qualidade e diversidade das obras expostas, além de seus visitantes internacionais". Ela também é a única na qual o público pode fazer aquisições. Ao mesmo tempo A estas reconhecidas qualidades se une nesta ocasião um acontecimento que só ocorre uma vez a cada dez anos: a coincidência temporal com as outras grandes exibições artísticas atuais, a Bienal de Veneza, a Documenta de Kassel e o Skulptur de Münster, que acontecem a cada dois, cinco e dez anos, respectivamente. Para comemorar a ocasião, foi feito um acordo oficial de cooperação entre as mostras e criado um site na internet (www.grandtour2007.com) que permitirá aos visitantes da rota da arte fazer suas reservas em aviões, trens e hotéis. Nesta 38.ª edição da Art Basel podem ser admiradas pinturas, esculturas, desenhos, fotografias e várias manifestações artísticas em vídeo e em formatos digitais, representando as tendências mais atuais, mas também os grandes mestres da arte moderna já consagrados e as últimas gerações. Nos próximos cinco dias, a Basiléia, uma cidade medieval às margens do Reno, encravada na fronteira entre Suíça, França e Alemanha, se torna uma espécie de museu temporário à venda. Além da própria exibição, várias outras serão organizadas em paralelo pelos diferentes museus, além de atividades teatrais e em salas de música. Art Basel Neste ano, a Art Basel conta com 20 novas galerias e inclui seções especiais chamadas Art Statements e Art Première. Esta, lançada em 2006, traz galerias de Alemanha, Estados Unidos, França, Reino Unido, Áustria e Dinamarca. A feira conta ainda com outros setores dedicados às instituições culturais, revistas, aos projetos de arte nos espaços urbanos e ao Cinema. Com a Art Unlimited, obras monumentais, que nunca são expostas ou vendidas neste tipo de feira, são exibidas por artistas e galeristas. No dia 15, a exposição será aberta exclusivamente à visitação de profissionais de museus e galerias e colecionadores. Este ano também será aberta a Art On Stage, em colaboração com o teatro de Basiléia, na qual eporão os artistas plásticos que precisam de grandes espaços e auditórios para seus trabalhos, como o tailandês Rirkrit Tiravanija.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.