Faltam banheiros públicos em São Paulo

Aplicativo lista também sanitários particulares que podem ser utilizados de graça na hora do aperto

Felipe Resk e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

09 Junho 2014 | 18h05

SÃO PAULO - Vontade de ir ao banheiro não escolhe hora nem lugar.  Na cidade de São Paulo, então, quando bate o aperto, é um desespero só. Dos sete banheiros públicos existentes, apenas três estão funcionando, segundo o último levantamento da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras. Desses, um é pago e o outro só abre aos domingos. Ou seja, nos dias de semana sobra apenas um único banheirinho para quase 12 milhões de habitantes. Um para 12 milhões. É mole?

Sorte apenas de quem passa no Largo da Concórdia, no bairro do Brás, onde funciona o dito-cujo. Mas só entre de 6h30 às 18h30. Apesar de público, o estabelecimento, na verdade, é custeado por uma empresa privada, mas não cobra nem um centavo para quem quer se aliviar. Com higiene em dia, foi até considerado referência no guia "Banheiros Públicos em São Paulo - Onde Ir, Como Fazer?", da editora Livro de Bolso. 

Pensando justamente no problema que os paulistanos enfrentam na desesperadora hora de encontrar um sanitário minimamente digno, o desenvolvedor Gabriel Cocenza Carvalho, de 25 anos, criou o aplicativo iToilet, uma espécie de geolocalizador de banheiros. "Ainda é muito complicado de se achar banheiros por aí", comenta.

O aplicativo gratuito, ainda exclusivo para iOS, aponta e atribui notas a todos os estabelecimentos que oferecem um banheiro, mesmo em comércios. O critério: não vale cobrar pelo serviço ou condicionar o uso à compra de algum produto.

Duzentos e vinte banheiros estão cadastrados no dispositivo, mas não apenas na capital. "Funciona no mundo inteiro. Já recebi cadastros nos EUA, Itália, França, Arábia Saudita, Espanha e outros, acredite se quiser", conta Carvalho, graduado em tecnologia de redes.

Como o trabalho é colaborativo, qualquer usuário pode enviar notas e cadastrar novos banheiros. No aplicativo, é possível visualizar as seguintes informações sobre o banheiro: nome, ponto de referência, endereço, avaliação, comentários e se há ou não acessibilidade.

O processo de criação do iToilet levou cerca de quatro meses. Segundo Carvalho, foi preciso agrupar manualmente os estabelecimentos, pois não há cadastros oficiais. "Comecei pelo óbvio, do Metrô e da CPTM, mas os outros precisei pesquisar", conta. A intenção de Carvalho é que o aplicativo seja disponibilizado também para Android, sistema corresponde à maioria  dos smartphones no País.

Em teste, reportagem do "Estado" localizou os pontos com melhores notas no aplicativo, quase todos em shoppings centers.

Confira a lista:

Frans Café Tamandaré, na rua Tamandaré, 743

Coffee Lab, na rua Fradique Coutinho, 1.340

Padaria Letícia, na Vila Leopoldina, rua Passo da Pátria, 756

Shopping Bourbon, na Avenida Francisco  Matarazzo, 2.509

Shopping Market Place, na Avenida Doutor Chucri Zaidan, 902

Shopping Center 3, na Avenida Paulista, 2.064

Shopping Vila Lobos, na Avenida das Nações Unidas, 4.777

Shopping Pátio Higienópolis, na Avenida Higienópolis, 618

Shopping JK Iguatemi, na Avenida Juscelino Kubischek, 2.041

Central Plaza Shopping, na Avenida Doutor Francisco Mesquita, 1.000

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.