Estrada sem fim

Os Stones anunciam shows e desafiam os incrédulos: 'É só a primeira mordida'

JULIO MARIA, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2012 | 08h23

A regra é clara para Keith Richards. Quando o mundo parece pesado demais, algo que inevitavelmente acontece depois de 350 shows pelo mundo para lançar um disco como um legítimo rolling stone, o melhor é desaparecer da frente dos amigos antes que alguém se machuque. Mick Jagger, Ron Wood e Charlie Watts pensam como ele e, assim, atingem marcas inéditas desde 1954, quando inventaram esse negócio de rock and roll. Os Stones anunciaram ontem algo que se especulava desde o ano passado: uma série de quatro shows para celebrar os 50 anos de estrada da banda. As apresentações estão confirmadas para os dias 25 e 29 de novembro, no O2 Arena, em Londres, e dias 13 e 15 de dezembro, no Prudential Center de Newark, próximo a Nova York. As informações surgiram em primeira mão ontem, no site da banda.

A chamada para algo que pode se converter em uma turnê maior (o que ainda não foi oficializado) ocorre cinco anos depois do último encontro do grupo sobre um palco, mais precisamente em 26 agosto de 2007, quando encerrou a milionária turnê A Bigger Bang. O que ninguém mencionou foi a possibilidade de ser este o último encontro, algo que pode ficar na imaginação de fãs dispostos a fazer as contas no Parque dos Dinossauros: Keith Richards: 68 anos; Charlie Watts: 71; Ron Wood, o caçula: 65; e Mick Jagger: 69. Peso total sobre o palco: 273 anos.

Informação que parece absolutamente irrelevante diante do anúncio de uma espécie de alta temporada de Stones. Na última quinta, o single Doom and Gloom, gravado pelo amigos depois de sete anos de abstinência dos estúdios, caiu na rede sinalizando vigor e deixando os fãs entusiasmados. O melhor da banda está lá, nos diálogos entre riffs de Ron e Keith, no vocal rasgado de Mick e nas marteladas secas de Charlie - pegadas que podem levar a um próximo álbum vitoriosamente primitivo, sem produtores modernos e barulhinhos estranhos.

Será também lançada no Brasil, nos próximos dias, a biografia Mick Jagger, escrita por Phillip Norman, já considerada uma abordagem bastante completa sobre a vida do líder. E uma coletânea batizada Grrr! chega às lojas em 12 de novembro, a data de nascimento do grupo, "Perdão por termos deixado vocês jogados, mas a espera terminou. Sempre disse que o melhor lugar para o rock and roll é sobre um palco e isso também vale para os Stones. Estou com Mick, Charlie e Ronnie e tudo vai sobre rodas", disse Keith em um comunicado.

Mick Jagger falou em entrevista à emissora BBC, de Londres, que a pequena temporada anunciada agora se tratava apenas da "primeira mordida." A se considerar o tamanho da boca, e a disposição dos meninos, o aperitivo pode muito bem chegar ao Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.