Crise em Darfur pode afastar Spielberg de Olimpíadas de Pequim

O diretor de cinema norte-americano Steven Spielberg poderá deixar seu cargo de conselheiro artístico dos Jogos Olímpicos de Pequim caso a China não adote uma posição mais dura contra o Sudão, devido ao conflito de Darfur, informou a ABC News. A China, grande investidora na indústria petrolífera do Sudão, tem resistido a mandar tropas de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) para a problemática região de Darfur. Grupos de defesa dos direitos humanos e outros críticos têm acusado a China e outros países de violar as leis internacionais e provocar mais derramamento de sangue ao vender armas para o Sudão que são desviadas para Darfur. Spielberg foi criticado por não usar sua posição para pressionar o governo chinês a mudar de postura sobre a questão. "Steven vai decidir nas próximas semanas a respeito de seu trabalho com os chineses. Nosso maior interesse é acabar com o genocídio. Ninguém sabe a melhor maneira de fazer isso", disse o porta-voz de Spielberg, Andy Spahn, em artigo publicado no site abcnews.com nesta sexta-feira. "Todas as opções estão na mesa", afirmou Spahn ao site. A decisão do cineasta vai depender de uma declaração sobre o Sudão pela China nos próximos dias, segundo ele.

REUTERS

27 Julho 2007 | 10h52

Mais conteúdo sobre:
CULTURA OLIMPIADAS SPIELBERG DARFUR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.