Cia. de Ivaldo Bertazzo estréia no Sesc ´Mar de Gente´

TeatroDança apresenta nesta sexta-feira seu primeiro espetáculo profissional

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h14

Do projeto Dança Comunidade, uma parceria entre o coreógrafo Ivaldo Bertazzo e o Sesc-SP, que consistia em uma ação social envolvendo jovens da periferia por meio da dança, surgiu a Companhia TeatroDança Ivaldo Bertazzo que estréia nesta sexta-feira, 22, com o seu primeiro espetáculo profissional, Mar de Gente. Como um pai orgulhoso de sua cria, o animado Bertazzo rasga elogios aos bailarinos: "Eles possuem um entendimento muito melhor da técnica, dos planos do espaço, seus corpos já estão estruturados e mais experientes, creio que prontos para encarar o desafio profissional", diz. O novo grupo entra em cena com 30 jovens, a maioria vinda do Dança Comunidade. "O projeto social funcionou como um despertar para a dança. Esses meninos aprenderam, se prepararam, somaram referências culturais e estão maduros agora, mas hoje faria tudo diferente, acredito que um projeto social precisa ter uma data limite para terminar. De qualquer maneira, estamos abertos à juventude da periferia", diz Bertazzo. Quando reuniu pela primeira vez esses jovens, Bertazzo encarou o desafio de oferecer a esse grupo eclético, sem familiaridade com a linguagem do movimento, a consciência corporal. Foram aulas de anatomia, origami, alongamento até caíram no samba e no refinamento dos gestos com a dança indiana em Samwaad, a Rua do Encontro, em 2003. O segundo desafio veio dois anos depois com Milágrimas e toda a intensidade da dança africana. Agora, os intérpretes enfrentam a dança folclórica vinda dos países do Leste Europeu. "Passamos por muitas etapas para conseguir chegar a Mar de Gente. Desconstruímos muitos elementos da dança indiana e africana que ainda estavam presentes nos corpos deles, passamos três meses pesquisando as tradições de países como Romênia e Hungria para então desenvolvermos a técnica. A última etapa consistiu em abrir espaço para as emoções dos bailarinos para comporem a coreografia." Intérpretes estes que receberam tantas influências, que o tema do espetáculo não poderia ser outro: a globalização. Ou melhor dizendo, uma reflexão a respeito da superpopulação mundial e de suas trocas culturais. A companhia questiona para onde foram os valores tradicionais, quais são os significados e os valores culturais hoje, em que ponto estamos na evolução humana. Para isso, a obra conta com o apoio do teatro. Cinco textos escritos especialmente para a coreografia serão lidos em cena pela atriz Denise Del Vecchio, na temporada paulistana. Para Bertazzo, a dramaticidade funciona como um chamariz para o público e concretiza a proposta da dança. "Acredito que o discurso fortalece o simbolismo da dança e auxilia na construção da emoção na platéia." Trilha sonora A dramaticidade também entra na expressão dos intérpretes, em cenas que buscam inspiração na polca ou no folclore. Troca de olhares e sorrisos foram ensaiados exaustivamente. A direção é de Andréa Bassitt. No aspecto dramático, Mar de Gente lembra espetáculos anteriores de Bertazzo como Mãe Gentil. Mar de Gente também é marcado pela frontalidade dos bailarinos em cena e pelas apresentações em grupo. A trilha sonora dita essas seqüências com obras de Dimitri Shostakovich, Leos Janácek e trabalhos como o da cantora Marta Sebestyen e da Budapest Baroque, do canto tradicional Women’s Choir of Sofia, da música cigana com roupagem contemporânea do Les Yeux Noirs, entre outros. "Trabalhamos muito a sonoridade. Seria bárbaro conseguirmos nos apresentar com uma orquestra no próximo espetáculo." Figurinos e cenário são criações de Fábio Namatame, que também assina a direção de Mar de Gente. Para as roupas, Namatame buscou como referência a mistura das culturas representadas no coreografia. Já o cenário foi idealizado para ressaltar o trabalho dos bailarinos. O palco vazio é preenchido pelos intérpretes, que criam povoados e rodas de dança, sem referências explícitas aos países referidos. Apenas uma escadaria no centro do palco, que tem a função de destacar algumas cenas, colocando as ações em planos diferentes. A Companhia TeatroDança Ivaldo Bertazzo estréia com o patrocínio da Petrobrás.

Mais conteúdo sobre:
Ivaldo Bertazzo dança mar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.