Christie's e Sotheby's anunciam recorde de vendas em leilão

Principais casas de leilões do mundo arrecadaram ao todo pouco mais de R$ 270 milhões

EFE,

17 Outubro 2007 | 16h47

As duas principais casas de leilões do mundo, Christie's e Sotheby's, anunciaram vendas recorde de obras de arte contemporânea nas sessões dos últimos dias em Londres.   A Christie's arrecadou ao todo 66.565.575 libras (pouco mais de R$ 270 milhões) em sua série de leilões, que incluíram uma venda de arte italiana e outra de uma coleção de pintura e desenho de um casal de colecionadores.   "Foi uma semana muito especial em Londres, para onde vieram os maiores colecionadores do mundo para assistir a nossos leilões e aos eventos em torno da feira de arte Frieze", disse Jussi Pylkkänen, presidente de Christie's Europa.   Por sua vez, Pilar Ordovás, diretora da seção de arte contemporânea e do pós-guerra, destacou a importância de um mercado da arte cada vez mais global.   "Vimos grandes resultados na venda tanto de obras de artistas europeus e americanos de gerações anteriores quanto na de artistas emergentes, principalmente da China", disse Ordovás.   A obra que atingiu o preço mais alto nos leilões da Christie's foi a intitulada Estudo do Corpo Humano: homem acendendo a luz, de Francis Bacon, pela qual foram pagos US$ 16,3 milhões (R$ 32,6 milhões).   Já a Sotheby's também anunciou vendas recorde de 66,25 milhões de libras (mais de US$ 270 milhões), mais que o dobro do vendido na mesma época do ano passado.   Vários artistas alcançaram números recorde: entre eles cabe destacar os quase US$ 6 milhões (R$ 12 milhões) pagos pela obra Execução, do chinês Yue Minjun, inspirada em Os Fuzilamentos de 3 de maio, de Goya.   Uma tela abstrata intitulada Achrome, de Piero Manzoni, foi leiloada pelo valor recorde de US$ 4,6 milhões (R$ 9,2 milhões).   Outro recorde mundial, desta vez em relação à arte indiana, foi o de Jardim das Delícias III, de Raqib Shaw, inspirada no quadro homônimo de Hieronymus Bosch, e que foi vendido por US$ 5,5 milhões (R$ 11 milhões).

Mais conteúdo sobre:
Christie's Sotheby's recorde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.