Batman e Robin? Quem diria, hein?...

‘A Vida Secreta de Batman e Robin’ faz rir com os rumores sobre a sexualidade da eterna Dupla Dinâmica

Thaís Kuzman,

19 Outubro 2007 | 11h35

Não há em toda a Liga da Justiça um herói que sofra tanto com boatos sobre sua sexualidade quanto Batman. A nebulosa relação do Cavaleiro das Trevas com o Garoto Prodígio é motivo de desconfianças e piadinhas o bastante para gerar uma peça de teatro. A Vida Secreta de Batman e Robin mostra coisas que acontecem na batcaverna que nem o leitor de gibis com a criatividade mais fértil poderia imaginar.   No texto de Ney Inácio e Didi Oliveira, os heróis perdem sua macheza na luta contra o crime após uma manobra secreta do vilão Charada. Agindo estranhamente, Batman passa a freqüentar a boate Morcegay, para o desespero (e ciúme) de seu protegido. "É uma comédia, claro, mas nunca quisemos desvirtuar o herói. Tanto que na história, ele não é homossexual, só aparece gay depois do plano maligno", conta Ney Inácio, que antes de se aventurar como autor e diretor de teatro ficou conhecido como o repórter do programa do Ratinho. "Depois que o Ratinho saiu do ar, achei que era hora de arejar um pouco. Adoro o submundo e adoro artes. É estranho, mas sou assim."   Mesmo com tantas explicações sobre o roteiro, o espetáculo foi alvo de protestos dos fervorosos fãs de Batman e Robin. "Eu queria fazer todo o figurino direitinho, procurei o fã-clube para fazer réplicas da roupas e pedir o modelo do carro emprestado. Quando souberam sobre o que a peça tratava, pararam de me ajudar", conta Renato Papa, 34 anos, que vive Batman no palco. "Até ameaça de morte eu recebi", diverte-se o ator, que diz ser fã de quadrinhos desde a infância. "Mas nem podia imaginar a adoração que os fãs têm pelos heróis." Robin, ou melhor dizendo, Marcelo Schimidt, parece entender melhor a polêmica que A Vida Secreta causa antes mesmo de estrear. "Não é fácil brincar com um mito, as pessoas demoram para compreender", diz o ator, tentando parecer sério com seus gritantes sapatos verdes e meia calça cor da pele. "Acredito mesmo que a maldade está nos olhos de quem vê, mas e se ele fosse gay mesmo, não poderia lutar contra o crime?"   Com apoio dos fãs ou não, os dois - acompanhados dos interpretes de Mulher Maravilha, Thor, Charada e Homem Invisível -, fazem rir utilizando os maiores clichês da Dupla Dinâmica. "Todo o elenco teve que ver a maioria dos episódios do seriado dos anos 60 para pegar um pouco daquele espírito", conta Papa. Mas, apesar de abusar de cenas clássicas da série estrelada por Adam West, como a ingênua escalada de paredes, um dos momentos da peça que mais diverte é quando Batman decide dançar como Shakira em sua boate favorita.   A Vida Secreta de Batman e Robin. Teatro Bibi Ferreira. Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 931 - Bela Vista. Estréia sábado, 20, à meia-noite. Temporada até 15 de dezembro. Quintas-feiras às 21h ,sextas e sábados à meia-noite. R$ 15 a R$30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.