Reprodução
Reprodução

Atriz Regina Dourado morre aos 59 anos

Reginal Dourado tinha 59 anos e estava internada há uma semana no Hospital Português da Bahia

27 Outubro 2012 | 14h20

Morreu na manhã deste sábado (27), em Salvador, a atriz baiana Regina Dourado. Ela tinha 59 anos e estava internada há uma semana no Hospital Português da Bahia. Ela tinha um câncer em estado terminal.

"A metástase atingiu a medula óssea. Seu estado é delicadíssimo. Agora queremos garantir seu conforto", afirmou na terça-feira (23) Oscar Dourado, irmão da atriz, em entrevista ao jornal A Tarde. Ele disse que o quadro de saúde de Regina, que foi diagnosticada com um tumor em 2003, já era irreversível.

Segundo o site G1, o velório será aberto aos fãs e ocorrerá neste sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana. Já a cerimônia de cremação do corpo deve ser privada.

Regina deixou um filho, Leonardo, de 28 anos.

Stop, Salgadinho!

Regina Dourado nasceu em 22 de agosto de 1953, em Irecê, a 478 km de Salvador, na Bahia. Começou sua carreira aos 15 anos, na Companhia Baiana de Comédias, além de participar do Grupo de Dança Contemporânea da Universidade Federal da Bahia, do Coral Ars Livre e do Grupo Zambo.

Sua estreia na televisão foi em 1978, durante o especial Quincas Berro D'água, de Walter Avancini. No ano seguinte, ela fez seu ingresso nas telenovelas, com Pai Herói (1979), na TV Bandeirantes. Atuou em dezenas de outros trabalhos na TV, entre eles Renascer (1993), Tropicaliente (1994), Rei do Gado (1996), Anjo Mau (1997), Andando Nas Nuvens (1999) e Esperança (2002), na Globo.

Em Explode Coração (1995), contracenou com Rogério Cardoso e foi Lucineide, responsável pelo bordão "stop, Salgadinho!"

Seu último trabalho em novelas foi em 2008, quando participou da novela Mutantes: Caminhos do Coração, na Record. Regina deu vida a papéis também no cinema e no teatro.

A atriz baiana Regina Dourado morreu em Salvador neste sábado. Ela tinha 59 anos. Relembre a carreira dela.

Mais conteúdo sobre:
Regina Dourado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.