Ator Castro Gonzaga morre aos 89 anos no Rio

Ator era mais conhecido por seu papel como coronel Zico Rosado, na novela 'Saramandaia'

02 Outubro 2007 | 18h26

O ator Castro Gonzaga, de 89 anos, morreu nesta terça-feira, 2, no Rio, segundo informou a assessoria de imprensa da Rede Globo. Gonzaga morreu no Hospital Santa Teresa, em Petrópolis (Região Serrana do Rio), onde estava internado havia quase um mês. O ator sofria de problemas renais e pulmonares. Seu velório será realizado nesta quarta, 3, a partir das 7 horas no Cemitério São João Batista (Rua General Polidoro, s/n, Botafogo, zona Sul do Rio) e o sepultamento ocorrerá no mesmo local às 11 horas. Deixa o filho Roberto Gonzaga, também ator.   Nascido no interior de São Paulo, em 1918, Gonzaga começou a careira na Rádio Cultura na década de 40. Ingressou na carreira de ator na Rádio Mayrink Veiga. Mudou-se para o Rio, onde escolheu morar no bairro da Ilha do Governador, na zona norte carioca. Na Globo, participou de inúmeras novelas, como Locomotivas, Dona Xepa, Por Amor e Bang Bang. Sua última participação em novelas de televisão foi em 2006, na trama O Profeta, como o Dr. Klaus Becker. Atuou também nas minisséries Grande Serão: Veredas e Anos Rebeldes.    O maior sucesso de Gonzaga na televisão foi como o coronel Zico Rosado, que soltava formigas pelo nariz quando ficava nervoso, na novela Saramandaia, de Dias Gomes, exibida em 1976. Antes disso, fez o coronel Amâncio Leal, em Gabriela, na adaptação que Walter George Durst fez para e televisão do romance Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado, em 1975.  Foi também o coronel Botelho em Dona Beija, na extinta TV Manchete, em 1986, confirmando uma vez mais sua habilidade em interpretar coronéis.  

Mais conteúdo sobre:
Castro Gonzaga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.