Artista implanta orelha em braço e cria polêmica

Stelarc pretende no futuro adicionar microfone para 'escutar' a obra.

BBC Brasil, BBC

12 Outubro 2007 | 08h50

Um artista australiano criou polêmica ao implantar uma orelha no próprio braço. Stelarc, codinome do cipriota de nascença Stelios Arcadiou, 61, quer no futuro implantar um microfone próximo à orelha, para captar o que estiver sendo "escutado". O implante do órgão, nesse caso uma prótese feita de cartilagem humana, causou reações de cirurgiões, que questionaram a realização da operação, já que ela não tinha necessidade clínica. Stelarc utiliza o próprio corpo como plataforma para os seus trabalhos, que mesclam instrumentos médicos, próteses, biotecnologia, elementos de robótica, sistemas de realidade virtual e internet. O artista já suspendeu seu corpo por cabos de aço, amplificou ondas cerebrais, operou uma terceira mão robotizada e filmou seus pulmões e estômago. Stelarc disse que precisou de anos para encontrar um cirurgião disposto a realizar o implante da orelha. Seu mais recente trabalho foi apresentado à audiência britânica em um centro cultural em Newscastle. "Isto vai provocar reações. Há muita gente que perdeu a orelha em acidentes e que não consegue substituí-la facilmente. Este tipo de reconstrução é cara", disse o cirurgião Francis Wells, que já trabalhou com o artista em outro projeto. Uma dessas vozes foi a da modelo Sasha Gardner, que nasceu sem uma das orelhas e teve de implantá-la. "Ele (Stelarc) vê isso como arte, mas eu pessoalmente acho ofensivo. É um assunto muito sensível para as pessoas." Já o médico David Gault, da Associação Britânica de Cirurgiões Plásticos Estéticos, disse que a publicidade criada pelo artista pode ser positiva. "(A performance) pode trazer benefícios se levar pacientes a procurar uma ajuda que não imaginavam que existia", ele afirmou. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.