Gisela Schloge
Gisela Schloge

ArCênico: Vestindo a carapuça grega

AS últimas informações sobre o mundo do teatro

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2017 | 02h00

Uma nova montagem de Antígona, depois daquela que acaba de passar pela cidade, com Andrea Beltrão, chega para mostrar como a atualidade do texto de Sófocles é avassaladora para o momento que vivemos. Além da nova tradução, feita pelo ator Celso Frateschi, a formação do elenco é de trio, como gostava Sófocles: completa-se com Paschoal da Conceição e Naruna Costa. Estreia dia 18, no Ágora Teatro, e promete conquistar corações. Se isso quer dizer alguma coisa, ouçamos as palavras de gênio de Sófocles em Antígona: “Não é possível conhecer perfeitamente um homem e o que vai no fundo de sua alma, seus sentimentos e seus pensamentos mesmos, antes de o vermos no exercício do poder, senhor das leis”

TRANCADOS NO PORÃO

O mês do cachorro louco também tem boas notícias no ar, apesar de raras, nestes tempos de corte de verbas e suspensão de incentivos às artes cênicas. O Teatro Sérgio Cardoso acaba de reabrir seu porão para novas montagens, depois de um ano sem atividades. Está em cartaz Ponto Morto, de Helio Sussekind, com Luciano Chirolli e Marat Descartes. A partir de setembro a promessa é de novas peças.

PARALAMAS COM SUCESSO

O musical Paralamas em Cena, que estreia em 6 de setembro no Teatro Folha, tem arranjos refeitos por estrelas da música. Zeca Baleiro recriou Saber Amar e Aonde Quer Que Eu Vá; André Abujamra cuidou de Selvagem e O Beco, e o maestro Miguel Briamonte fez um novo arranjo para Lanterna dos Afogados.

PALCO DO FIM DO MUNDO

O diretor brasileiro Adrian Steinway escolheu atores italianos, commedia dell’arte e o formato de opereta para falar sobre aquele momento em que tudo acaba. Apocalypse Now - O Fim do Mundo para Leigos será exibida somente dia 26 de agosto no Teatro Sérgio Cardoso. No elenco dois especialistas em commedia dell’arte, os atores Roberto Andrioli, também autor do texto, e Fabrizio Checcacci (foto abaixo). Estreou na Itália no primeiro semestre e agora chega ao Estado de São Paulo para cinco sessões e segue para os Estados Unidos. A agenda de 2018 tem Montevidéu, Santiago, Paris e Sevilha.

WILL COM CHARME

Outra peça com apresentação única é Noite de Reis, do bom e velho Will Shakespeare. Dia 22, no Teatro do Sesi, sobe ao palco elenco de charme sem igual, portadores de síndrome de Down, que ensaiam a peça há dois anos, dirigidos por Leonardo Cortez, que há 19 anos comanda o grupo. Foi o próprio elenco que optou por juntar o texto do bardo e sucessos da Jovem Guarda, como Estúpido Cupido e Emoções. Poesia pura.

TEATRO COMO MISSÃO

Nas contas do ator João Signorelli, mais de 10 mil pessoas em 14 anos assistiram ao monólogo Gandhi - A Ética Inspiradora, baseado em textos do defensor da não violência. O ator acaba de voltar de Moçambique, onde fez três apresentações em aldeias do país (foto acima). Não é pouco para quem já passou por palcos pouco convencionais como presídios e a Fundação Casa, onde faz seu Gandhi mensalmente. Em 2018, Signorelli levará a peça a Rishikesh, cidade conhecida como capital mundial da ioga e bem-estar, portal para a elevação espiritual para os hindus.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.