Divulgação
Divulgação

'Ai a primeira festa, a primeira fresta...'

Olá, muito prazer! Eu sou a Roberta Martinelli e peço licença para entrar na página do seu jornal com muita música brasileira. O que mais se ouve por aí é “Ahhhhhh! Não se faz mais música como antigamente”, mas cada tempo tem sua música e música não tem tempo. De segunda a sexta, ao meio-dia, estou ao vivo na Rádio Eldorado e toda quinta-feira estarei por aqui. Espero que você goste, eu estou feliz demais com a oportunidade. 

Roberta Martinelli, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2016 | 02h00

POR AQUI NÃO PARA DE TOCAR...

Elza Soares foi indicada para o Grammy Latino (parabéns, claro! Prêmio é uma delícia, mas não acho legal pautar nossa vida nisso, afinal ela já tem toda nossa admiração) em duas categorias: melhor álbum de música popular brasileira por A Mulher do Fim do Mundo, e melhor música em língua portuguesa por Maria da Vila Matilde (porque se a da Penha é Brava, Imagina a da Vila Matilde), composição de Douglas Germano. Ele fez a música inspirado por seu pai que era o típico malandro, viciado em jogo, tinha um ciúme mortal da mulher 15 anos mais jovem e a agredia. Isso sempre foi um segredo de família. Até que, um dia, o compositor ainda criança - 11 anos - estava assistindo à televisão e viu no TV Mulher a apresentadora Marília Gabriela entrevistando a Elza. Foi a primeira vez que ele viu uma artista falar sobre violência contra a mulher. Anos depois, ouvir a música, na voz dela, deve ser de uma emoção que nunca saberemos. Só sei que ele chorou muito. Douglas Germano é um grande compositor com músicas gravadas por Criolo, Juçara Marçal e está lançando agora o terceiro disco, Golpe de Vista. Douglas é um poeta urbano, observador da realidade e artista conectado com seu tempo. Consegue falar do mundo, falando de sua aldeia, fala de um Brasil profundo, de um ano duro, do que acontece agora.

MARAVILHOSA

Wanderléa está preparando seu primeiro disco de inéditas desde 1989 (pode colocar emoticon de coração?), com direção artística de Marcus Preto, direção musical de Pupillo e lançamento previsto para o primeiro semestre de 2017. Só sei que tem uma letra feita especialmente para ela. Sabe o disco Maravilhosa, de 1972? A música Quero Ser Locomotiva foi a estreia do até então desconhecido Jorge Mautner. E é dele o presente especial para a nossa maravilhosa Wandeca. Presente entregue, Marcus Preto sugeriu por WhatsApp que a letra fosse musicada por Maria Gadú e ela logo respondeu “Dois queridos, vou amar! Gadú também é rock’n’roll”. Falta muito para 2017?

A NAVE VAI 

Céu lançou em 2016 Tropix, um dos discos que - na minha opinião e de muitos outros - é destaque do ano. A boa nova é que dia 8 de dezembro tem show junto com General Elektriks, de Hervé Salters, um dos produtores de Tropix, dentro da Semana Internacional de Música de SP e, no dia 10 de dezembro, no Circo Voador. Todo mundo voando para comprar.

MÚSICA DA SEMANA

PRENDEDOR DE VARAL

Liniker e os Caramelows

No fim de semana, teve estreia do Remonta, primeiro disco de Liniker. Reparou o artigo indefinido? Pois é. O mundo lá fora do jeito que está e no palco uma pessoa que nasceu “menino” se assume cantora e representa lindamente toda uma geração. Remontem o mundo!

 

Mais conteúdo sobre:
Liniker Elza Soares Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.