A&E estreia hoje a série 'Investigação Criminal'

Com experiência na produção de programas de TV com temática policial, como é o caso do reality sobre o cotidiano de policiais "Câmera em Ação", da Rede Record, a produtora Medialand apresentou um formato diferente para o canal pago A&E, tendo como foco o trabalho dos profissionais que desvendam os detalhes dos crimes. A série "Investigação Criminal" estreia nesta terça, às 23h, abordando crimes de grande repercussão midiática ocorridos na cidade de São Paulo, mas sob o viés do trabalho de peritos e legistas que ajudaram a solucioná-los.

AE, Agência Estado

09 Outubro 2012 | 10h45

O destaque dessa série policial fica para as imagens inéditas do trabalho pericial cedidas pela Superintendência da Polícia Técnico-científica do Estado de São Paulo. "Fomos em cima da análise do julgamento e do inquérito. Em nenhum momento fugimos disso. Quando você assiste, entende por que aquele inquérito foi feito daquela forma", afirma Carla Albuquerque, da Medialand, criadora e diretora-geral da atração.

Na estreia, o caso investigado é o crime que ficou conhecido como o do atirador do shopping. Em novembro de 1999, o então estudante de medicina Mateus da Costa Meira disparou com uma metralhadora contra a plateia de um cinema de shopping da capital, matando três pessoas e ferindo outras cinco. O programa mostra entrevistas com um dos primeiros policiais que chegaram ao local, com o perito envolvido no caso e com um psiquiatra forense.

Nessa primeira temporada, "Investigação Criminal" abordará outros casos conhecidos em seus dez episódios, como o da menina Isabella Nardoni, o de Suzane Von Richthofen e do Maníaco do Parque. Todos os crimes apresentados já foram julgados.

Assim, o A&E evita contratempos como o que aconteceu em abril com outra série do canal, "Até que a Morte nos Separe", sobre crimes passionais. Na ocasião, a advogada Carla Cepollina entrou na Justiça para impedir a exibição do episódio sobre o assassinato do coronel Ubiratan Guimarães, em 2006, crime pelo qual ela será julgada.

"Eu acho muito difícil ter isso porque realmente são crimes julgados", diz Krishna Mahon, produtora executiva de programação e conteúdo do A&E. Segundo ela, o programa sobre a morte do coronel, após um acordo e a retirada de um trecho, deverá ser exibido, ainda sem data programada. As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
A&E Investigação Criminal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.