A voz de seu duplo, Laura Lavieri

Parceiro de letristas arrojados, como Arnaldo Antunes, Carlos Rennó, Zé Miguel Wisnik, Chico César, Luiz Tatit, entre outros, Marcelo Jeneci revela que grande parte dos versos das canções de Feito pra Acabar é dele. Só em Por Que Nós? (Tatit) e Show de Estrelas (Rennó) ele não tem parte na letra. As outras todas partiram dele, com toques dos parceiros.

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2010 | 00h00

Além de assinar todas as composições e tocar diversos instrumentos no disco (piano, órgão, violões, sanfona, clavinet, vibrafone), Jeneci expõe agora também seu lado cantor, ainda em desenvolvimento. Ele dá conta de boas interpretações de suas elaboradas canções, mas tudo muda de figura quando entra a voz cristalina, impressionante de Laura Lavieri. O duo em Pra Sonhar é um dos grandes momentos, mas Laura também se encarrega de dar cor sozinha a uma das mais densas canções do disco, Longe.

Jeneci hesitou em colocar seu nome com o dele na capa do CD, mas o próximo provavelmente vai ter parcerias dos dois. "Ela se tornou meu duplo", diz o compositor. Filha do cantor Rodrigo Rodrigues, do Música Ligeira, morto precocemente em 2005, quando Laura tinha 15 anos. Jeneci já era amigo de seu pai e a ouviu cantar pela primeira vez num show em homenagem a Rodrigues. A música era Across the Universe, dos Beatles. Achou sua voz tão sofisticada quanto a do amigo. Chamá-la para cantar com ele foi uma maneira de dar continuidade à parceria com Rodrigues. "Foi como se eu estivesse me descobrindo compositor ao mesmo tempo em que ela se descobria como cantora", diz Jeneci. É uma dupla promissora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.