1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Vovôs da ação voltam a atacar em 'Os Mercenários 3'

Pedro Caiado - ESPECIAL PARA O ESTADO - O Estado de S. Paulo

23 Agosto 2014 | 16h 00

Filme prega mais humor e menos violência e incluem gays

LONDRES - Os Mercenários é produto de uma ideia lucrativa. Desde a estreia, em 2010, a reunião de estrelas de filmes de ação tem se mostrado eficiente. O terceiro episódio da franquia traz um elenco com ainda mais peso, com nomes como Mel Gibson e Wesley Snipes. Mas nos EUA, a estreia teve desempenho fraco nas bilheterias, US$ 15,9 milhões. O primeiro filme faturou US$ 35 milhões na semana em que entrou em cartaz, em 2010.

Já em cartaz no Brasil, Mercenários 3 evita a violência explícita, comparado com os antecessores. Stallone, também conhecido como Sly, defendeu a estratégia em entrevista coletiva, em Londres. "Queríamos atingir um público maior", disse o ator de 68 anos. "Os últimos filmes de James Bond ou Jason Bourne são mais violentos, mas não forçam a barra. Se fosse muito explícito, também não teria humor."

O novo episódio da franquia traz o novato Keran Lutz, da saga Crepúsculo, além de uma mulher, Ronda Rousey. Entre os conhecidos estão Wesley Snipes, Antônio Bandeiras, Mel Gibson e Harrison Ford. "Levou bastante tempo para convencer alguns a fazer o filme. Tive que implorar”, recordou Stallone. Banderas interrompeu: "Ele me chamou para ser o vilão, mas eu não quis. Os vilões morrem e no próximo filme eu não poderia aparecer. Logo depois, ele me deu o papel do bonzinho", comentou o ator de 54 anos. "Trago a comédia para o filme. Conversei com Sly sobre isso e ele me disse: 'Faça o que quiser'", garantiu o espanhol.

Divulgação
Astros. Disputa para ver quem teve mais ferimentos

Wesley Snipes é um curioso acréscimo aos Mercenários, que marca seu retorno ao cinema após três anos de prisão por sonegação de impostos nos EUA. "É como participar de um time de atletas olímpicos - só com os melhores", revelou o ator de 52 anos, que ainda brincou. "Esperei muito tempo para trabalhar com o Stallone novamente, mas ele estava ocupado e eu também", ressaltou se referindo à prisão e provocou gargalhadas dos jornalistas.

Sobre o futuro da franquia, Stallone pensa em continuar. O produtor do filme Avi Lerner e Stallone confirmaram que uma versão feminina de Mercenários está a caminho. “Vamos filmar no início do ano que vem”, afirmou Lerner.

Mesmo aos 68 anos, Sly investe em treinamento pesado antes das filmagens. "Fazer um filme desses é como participar de um campeonato esportivo; você sabe que vai se machucar, mas não dá para escapar."

Os atores competiram sobre quem se feriu mais nas filmagens. "Eu me machuquei na primeira cena, mas não disse nada, para que não me chamassem de velho", admitiu Banderas. "Meço a qualidade de um filme de ação pela intensidade dos ferimentos. Em Rambo, quebrei pescoço, desloquei ombros", lembrou Sly. "E, nesse, tive um problema nas costas e precisei pôr uns metais."

Já Snipes brincou: "Quebrei uma unha". E Stallone completou: "No olho de alguém".

O novo filme inova também. O diretor Patrick Hughes informou que os personagens de Arnold Schwarzenegger e Jet Li são gays. Stallone, um dos roteiristas do filme, mostra querer se adaptar ao novo mercado.