'Um Plano Brilhante', com Emma Thompson e Pierce Brosnan, chega às telonas

Casal arma plano para recuperar dinheiro da aposentadoria

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2014 | 07h00

Pode-se aplicar a Um Plano Brilhante a fórmula que a crítica norte-americana Pauline Kael adorava usar. Ela dizia de determinados filmes que quem gostava muito deles deveria ter sua cabeça examinada, mas era a primeira a defender a diversão que proporcionavam. Red - Aposentados e Perigosos, de Robert Schwentke, de 2010, fez escola. A história dos aposentados que voltavam à ativa ganha desdobramentos. Agora, são Pierce Brosnan, o ex-007, e Emma Thompson que descobrem que foram lesados por megaempresário especializados em fechar empresas. Eles vão se queixar para o cara que, desta maneira, roubou suas aposentadorias e ouvem que, sim, aquilo é uma coisa sórdida, imoral, mas perfeitamente legal.

Como reação, Brosnan e Emma bolam o plano brilhante - decidem roubar o diamante, avaliado em mais de US$ 10 milhões, que o cara comprou para dar à noiva. Não é tarefa fácil, mas a dupla ganha importantes aliados - os amigos vizinhos, que nunca se conformaram com a separação do casal, e a própria noiva do mau-caráter, que segue o conselho de Emma. Ela lhe diz que uma mulher pode estar apaixonada sem gostar de um homem e a noivinha descobre que não está apaixonada nem gosta do recém-marido. O divórcio é inevitável, enquanto, do lado de Brosnan e Emma, os ex-amantes descobrem que... Ainda há fogo sob as cinzas? Veja o filme, mas se não sabe é porque você desconhece por completo o abecedário das comédias românticas e de aventuras de Hollywood.

O que faz a diferença em Um Plano Brilhante é o carisma do elenco, e não apenas da dupla principal, formada por Brosnan e Emma, mas também Timothy Spall, o amigo que se integra ao plano. É um dos atores frequentes de Mike Leigh e acaba de receber o prêmio de interpretação em Cannes, por seu papel em Mr. Turner, sobre o pintor J. M. W. Turner. Mas isso é só meio elogio, porque Um Plano Brilhante tem diálogos espirituosos, se não totalmente inteligentes. Ditos com graça, garantem a diversão. E existem os cenários - a romântica Paris, a Cote d'Azur, e Cannes. O diretor e roteirista Joel Hopkins pode ter-se inspirado vagamente em outro plano brilhante - de Michael Radford, de 2008 -, que uniu Demi Moore e o aposentado Michael Caine em um roubo de... diamante. Ele não tem parentesco com Anthony Hopkins. Ia dirigir Nanny McPhee - A Babá Encantada, mas os produtores o dispensaram. Ganhou a confiança de Emma Thompson e já fez dois filmes com ela - esse e o anterior Tinha Que Ser Você, com Dustin Hoffman.

UM PLANO BRILHANTE

Título original: 

Love Punch. Direção: Joel Hopkins. Gênero: Comédia (Reino Unido-Fr/ 2013, 94 min.). Classificação: 12 anos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.