Trecho do romance 'O Acidente', de Ismail Kadaré

Romance do escritor albanês tem o amor como tema e reafirma sua profissão de fé na literatura

25 Junho 2010 | 20h36

"Uma laboriosa contabilidade estabeleceu que, enquanto as relações do casal tinham durado cerca de quinhentas semanas, o esfriamento acontecera nas cinquenta e duas últimas semanas. Como um sinal estridente, a palavra call girl fizera sua aparição quarenta semanas antes do fim.

 

"Você me trouxe uma felicidade sem tamanho, admito", escrevia ela numa das cartas, "mas muitas vezes sua monstruosa irritação envenenou minha existência."

 

Ela se queixava constantemente disso. Numa carta do ano 2000, chegava a dizer que a única fase onde experimentara uma felicidade completa na relação fora durante a Guerra dos Bálcãs, quando, ao que parecia, o nervosismo dele fora descarregado em outra direção. "Quando a Sérvia tombou de joelhos, você, como se não soubesse mais a quem aborrecer, veio de novo para cima de mim."

 

Aquela última frase fizera os investigadores albaneses acreditarem que tinham descoberto a chave de pelo menos um dos enigmas: o interesse do serviço secreto sérvio-montenegrino por Bessfort Y. Tendo ele muitos conhecidos em Estrasburgo e Bruxelas, assim como na maioria dos centros mundiais de direitos humanos, era natural que Bessfort Y. figurasse entre as pessoas malvistas na Iugoslávia e até entre aquelas responsabilizadas pelos bombardeios sofridos.

 

Logo se esclareceu a intrigante questão de por que a vigilância se estabelecera com tanto atraso, quando a guerra já tinha acabado. Exatamente ao fim do conflito, junto com uma certa consciência pesada pelo castigo e desmembramento da Iugoslávia, havia começado um esforço de revisão dos acontecimentos. A esperança de que os bombardeios fossem declarados um erro enchia milhares de pessoas de alegria ou aflição".

Tradução do albanês de Bernardo Joffily

Mais conteúdo sobre:
Ismail Kadaré

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.