1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Trama de 'Caçadores de Emoção' é risível, mas a ação é adrenalina pura

- Atualizado: 03 Fevereiro 2016 | 04h 00

O velho 'Caçadores de Emoção' não era (é) clássico, mas virou cult

No afã de provar, mais uma vez, a batida tese de que remakes nunca são melhores que os filmes originais, alguns críticos exageraram e promoveram a ‘clássico’ o longa Caçadores de Emoção, que Kathryn Bigelow realizou em 1991, com Keanu Reeves e Patrick Swayze. Kathryn, na época, estava se divorciando de James Cameron e parecia disposta a mostrar que mulheres na direção podem fazer filmes de pancadaria melhores que os dos homens. Com o mesmo espírito, ela virou a primeira mulher a ganhar o Oscar de direção em Hollywood - por Guerra ao Terror, em 2008.

O velho Caçadores de Emoção não era (é) clássico, mas virou cult. O remake é assinado pelo mesmo profissional responsável pela direção de fotografia. Ericson Core também é câmera no filme. A história não mudou muito e mostra como aspirante a agente do FBI infiltra-se numa gangue que está roubando bancos. No filme antigo, Reeves era o agente e Swayze, o criminoso que roubava para financiar a volta ao mundo do grupo, que perseguia a onda perfeita, sonho de todo surfista. A nova versão, a título de incrementar a trama, cria adendos desnecessários.

Como Bodhi, Edgar Ramirez faz o discípulo de um guru dos esportes radicais, que sempre defendeu a superação humana em práticas em terra, mar e ar. Utah (Luke Bracey) entra para o FBI para se purgar da morte do parceiro (cena inicial), pela qual se sente responsável. Os assaltantes viram caso de polícia internacional porque estão atingindo interesses dos EUA em todo o mundo. Começam dando uma de Robin Hood, roubando dos ricos para dar aos pobres, mas o enredo não vai muito por aí.

Cena de 'Caçadores de Emoção'
Cena de 'Caçadores de Emoção'

Como trama política - Edgar Ramirez e seus asseclas têm um patrocinador do Oriente Médio -, Caçadores de Emoção - Além do Limite chega a ser risível, mas, nesses 20 e poucos anos, a tecnologia aprimorou-se e hoje Hollywood conta com câmeras de última geração para filmar surfe, snowboarding e o que mais produtores e diretores quiserem. São cenas de tirar o fôlego, cheias de adrenalina e com direito a belas mulheres e animadas cenas de sexo. Para arriscar um palpite, os fãs de Velozes e Furiosos vão gostar, mas o 7 da série com Vin Diesel é muuuuiiiiito melhor.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX