AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Kevin Winter
AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Kevin Winter

Tarantino admite erros em acidente de Uma Thurman durante 'Kill Bill 2'

Atriz publicou uma mensagem em sua conta de Instagram na qual desculpou o cineasta pelo ocorrido

EFE

06 Fevereiro 2018 | 09h01

LOS ANGELES — O diretor Quentin Tarantino admitiu nesta terça-feira, 6, os erros que cometeu no planejamento da cena de Kill Bill: Vol. 2 (2004) na qual a atriz Uma Thurman ficou ferida após sofrer um acidente de carro.

"Disse que estaria bem. Disse que a estrada era toda reta. Disse que seria seguro. E não era. Estava errado. Não a obriguei a subir no carro. Ela entrou no carro porque confiou em mim", disse Tarantino em uma entrevista ao site Deadline.

Em uma reportagem do The New York Times, a atriz revelou que sofreu um acidente durante a rodagem de Kill Bill: Vol. 2, em uma cena na qual deveria conduzir um carro por um caminho no meio da selva.

A atriz explicou que não se sentia confortável com a ideia de rodar essa cena e por isso pediu um dublê de ação, mas assegurou que Tarantino a pressionou para que fizesse, afirmando que não havia perigo.

O The New York Times publicou um vídeo no qual é possível ver Uma conduzindo o carro até se chocar com uma árvore. A Miramax proibiu o acesso da atriz à gravação do acidente, a menos que ela assinasse um documento confirmando que não processaria o estúdio.

Segundo o relato da atriz, a relação entre Tarantino e ela se deteriorou por causa do acidente.

Após as críticas surgidas em Hollywood nos últimos dias por este episódio, Tarantino deu na terça sua versão dos fatos.

"Esse é um dos maiores remorsos da minha vida. Como diretor estudo as coisas e às vezes aprendo através de erros horríveis. Esse foi um dos meus mais horríveis erros", explicou.

Tarantino disse, além disso, que comprovou o percurso que ia ser feito de carro por Uma, mas que no final a cena foi rodada no sentido contrário ao que ele tinha revisado.

Segundo o produtor, ninguém da equipe pensou em usar um especialista para essa cena.

"Foi simplesmente horrível", manifestou o cineasta sobre o momento do acidente.

Horas antes da divulgação da entrevista com Tarantino, Uma publicou uma mensagem em sua conta de Instagram na qual desculpou o cineasta pelo ocorrido.

 

 

i post this clip to memorialize it’s full exposure in the nyt by Maureen Dowd. the circumstances of this event were negligent to the point of criminality. i do not believe though with malicious intent. Quentin Tarantino, was deeply regretful and remains remorseful about this sorry event, and gave me the footage years later so i could expose it and let it see the light of day, regardless of it most likely being an event for which justice will never be possible. he also did so with full knowledge it could cause him personal harm, and i am proud of him for doing the right thing and for his courage. THE COVER UP after the fact is UNFORGIVABLE. for this i hold Lawrence Bender, E. Bennett Walsh, and the notorious Harvey Weinstein solely responsible. they lied, destroyed evidence, and continue to lie about the permanent harm they caused and then chose to suppress. the cover up did have malicious intent, and shame on these three for all eternity. CAA never sent anyone to Mexico. i hope they look after other clients more respectfully if they in fact want to do the job for which they take money with any decency.

Uma publicação compartilhada por Uma Thurman (@ithurman) em

 

"Quentin Tarantino se arrependeu profundamente e continua arrependido por este lamentável fato", comentou a atriz, que revelou, além disso, que foi o diretor quem conseguiu dar para ela a filmagem do acidente.

"Ele fez isso sabendo que poderia lhe prejudicar, e estou orgulhosa por ter feito o correto e pela sua valentia", indicou.

No entanto, Uma acusou expressamente os produtores Lawrence Bender, E. Bennett Walsh e Harvey Weinstein de "mentir, destruir provas e continuar mentindo" sobre o acidente.

Na reportagem do The New York Times, Uma também revelou ter sido vítima de um ataque sexual de Weinstein.

Mais conteúdo sobre:
Uma Thurman Quentin Tarantino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.