Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Stallone como técnico está ainda melhor que boxeador

Cinema

Divulgação

Cultura

Stallone como técnico está ainda melhor que boxeador

Ator interpreta cenas de duelos intensos e violentos como o treinador de Adonis Creed

0

Wilson Baldini Jr.,
O Estado de S. Paulo

13 Janeiro 2016 | 03h00

Rocky Balboa é melhor treinador do que foi como pugilista. As cenas de luta usam uma técnica nova, que coloca o público dentro do ringue. As imagens são mais próximas, tornando o duelo intenso, violento, espetacular. A utilização de boxeadores profissionais como Andre Ward, Gabriel Rosado (Leon) e Anthony Bellew (Conlan), nas cenas com Michael B. Jordan (Adonis Creed), torna as lutas dos primeiros Rocky brincadeira de criança.

Os fãs de Rocky vão se emocionar na cena em que Adonis Creed “troca golpes” com as imagens da luta entre seu pai e Rocky. A parceria com a HBO é outro toque de classe. Imagens, clipes, narração e comentários são feitos pelo canal que melhor produz eventos de boxe.

Os 40 anos de Rocky e o convívio com os melhores profissionais do boxe deram a Stallone o conhecimento de alguns detalhes pitorescos da nobre arte. 

Um dos destaques é quando Balboa cutuca a nuca de Creed para indicar quantos dedos o médico lhe mostrava diante do olho fechado. Outro é a escolha de Creed em fazer suas lutas em Tijuana, centro do boxe no México.

Em Creed, Stallone usa situações de sucesso. A presença de uma mulher para dar força ao lutador em momentos difíceis, assim como fez sua mulher Adrian. O público inglês saudando Creed, após a luta com Conlan, fez lembrar do épico duelo com Ivan Drago em Rocky IV, quando os russos, em plena Guerra Fria, gritavam o nome do americano em um ginásio de Moscou. 

Para 2017, está prevista a continuação para Creed. Rocky está doente. Os fãs esperam que o fim não seja como o de Han Solo, em Star Wars. Seria um nocaute! Mas aí basta ver os filmes antigos. Que venha Creed 2! 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.