1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Sandrine Kiberlain e Albert Dupontel estão em 'Uma Juíza Sem Juízo'

Luiz Carlos Merten - O Estado de S. Paulo

27 Junho 2014 | 02h 00

Longa recebeu seis indicações ao prêmio francês César

Em fevereiro, em Berlim, Sandrine Kiberlain estava feliz da vida por, enfim, integrar o planeta Alain Resnais. Admiradora do diretor, ela interpreta um dos principais papéis de Amar, Beber, Cantar. "Alain é uma figura seminal da história do cinema, mas é, acima de tudo, um grande ser humano. Ele ama o que faz e torna todas aquelas elucubrações intelectuais perfeitamente acessíveis e orgânicas. E é um ladies man. Adora as mulheres e faz com que a gente se sinta admirada, desejada. Já me prometeu que vamos filmar mais vezes juntos."

Infelizmente, o desejo de Sandrine não pôde ser realizado porque Resnais, ausente da Berlinale presumivelmente para se poupar do frio, na verdade não estava muito bem em Paris. Morreu em 1.º de março, dias depois. A atriz também falou de Uma Juíza Sem Juízo, de Albert Dupontel, que integrou o Festival Varilux (e estreou ontem). Fez uma observação que não deixa de ser interessante. "Albert vai na contramão de Resnais, mas só na aparência. Tem aquele jeito bruto, grosseiro, mas assim como Alain (Resnais) já tem o filme na cabeça e não desperdiça tempo nem dinheiro com cenas que não são usadas, Albert sabe que o humor, para funcionar, precisa de timing. Nunca havia entrado dessa forma no mecanismo do riso. É tudo muito preciso, muito elaborado."

Naquele momento, Sandrine Kiberlain também não sabia que, numa questão de dias, seria a grande vencedora do César, o Oscar francês de melhor atriz, justamente por seu papel em Uma Juíza sem Juízo. Os prêmios de interpretação para comédias não são frequentes. Todo mundo prefere - críticos, os próprios atores- preferem destacar o drama, como se fosse mais nobre, ou difícil. Os franceses este ano radicalizaram e este ano outorgaram os prêmios de melhor ator e atriz a intérpretes de comédias. Além de Sandrine, venceu o Guillaume Galienne de Eu, Mamãe e os Meninos, que ele próprio (Guillaume) dirigiu. Mais um motivo, portanto, para que o público prestigie a 'juíza'.

O cinema, e o norte-americano tem sido pródigo, faz muitas comédias com cenas em tribunais, mas nenhuma, como a de Dupontel, remete ao próprio funcionamento da Justiça. Na França, Uma Juíza Sem Juízo chegou a ser definido como a versão surreal de um documentário de Raymond Depardon (Instantes de Audiência). Dupontel acredita no humor cartunesco, direto, à Tex Avery, o criador dos Looney Tunes. Humor negro, sem muita (ou nenhuma) sofisticação, certeira crítica social. No novo longa, Sandrine Kiberlain faz uma juíza conhecida por seus julgamentos severos e pelo comportamento ilibado. O surpreendente é que, ao aparecer grávida, não sabe como chegou a esse estado.

Divulgação
Sandrine. Atriz de "O Pequeno Nicolas" veste a toga de juíza em comédia francesa de tribunal

A própria juíza comanda uma investigação e descobre, pelo DNA, que o pai da criança está preso como perigoso agressor. É Dupontel, com sua verve, sua provocação. Sandrine é o oposto, mas a rigidez é desmontada pela sequência dos acontecimentos. O filme é o duo de atores - Dupontel, palhaço, como sempre; Sandrine, deslocada. É como se perguntasse 'o que faço aqui?'. Vem daí o estranhamento que desencadeia o riso. De novo, Dupontel trabalha no registro do insólito. Em Bernie, de 2011, já fazia um órfão de 30 anos que se envolvia em confusões ao procurar os pais biológicos. Juíza não deixa de dar sequência àquele humor. Como prova do prestígio do diretor, Terry 'Monty Python' Gilliam e Jean 'O Artista' Dujardin fazem pequenos papéis. O primeiro é particularmente divertido como um psicopata.

UMA JUÍZA SEM JUÍZO

Título original: 9 Mois Ferme. Direção: Albert Dupontel.

Gênero: Comédia (França/2013, 82 min.). Classificação: 14 anos. 

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo