Divulgação
Divulgação

Roteiro de Ingrid Bergman com Kurosawa e Fellini será transformado em filme

Texto encontrado recentemente foi escrito pelo diretor sueco em 1969

EFE

28 Outubro 2016 | 11h16

COPENHAGUE - Um manuscrito do falecido diretor sueco Ingmar Bergman, escrito em 1969 e desconhecido até o momento, será transformado em filme e dará início às comemorações do centenário do nascimento do cineasta, em 2018, informou o site Dagens Nyheter. 

Sextiofyra minuter med Rebecka, título que pode ser traduzido livremente como 64 Minutos com Rebeca, foi escrito em uma colaboração com os diretores Akira Kurosawa e Federico Fellini. O projeto não foi para frente e o manuscrito foi guardado e não foi descoberto até depois que Bergman doou sua coleção pessoal a fundação que leva seu nome. 

O cineasta sueco escreveu muitos roteiros que nunca foram levados adiante, mas encontrar um rascunho  deste “calibre” é “incomum”, declarou Jan Holmberg, diretor da fundação Ingmar Bergman ao site. 

O roteiro, antes de ir para o cinema, será encenado no domingo, 6 de novembro, pela emissora pública Radio de Suécia, em uma versão para a rádio realizada pela cineasta Suzanne Osten, a mesma responsável pelo filme. 

O manuscrito conta a história de uma professora grávida e de sentimetnos alienados  em busca de sua libertação sexual e política. 

“São os únicos 64 minutos nos quais Bergman é completamente feminista. Sempre existiram mulheres fortes em seus filmes, mas essa dá um passo além”, explicou Osten. 

Morto em 2007, Ingmar Bergman é considerado um dos grandes diretores de cinema de todos os tempos com filmes como O Sétimo Selo, Morangos Silvestres, Persona e Fanny e Alexander. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.